UGT espera que atualização do salário mínimo entre em vigor até final do ano

Carlos Silva, secretário-geral da UGT
Carlos Silva, secretário-geral da UGT

O secretário-geral da UGT, Carlos Silva, disse hoje esperar que o salário mínimo seja atualizado para os 500 euros "muito antes do final do ano", exigindo o pagamento de retroativos a partir de 1 de julho.

“Estou em crer que a situação do salário mínimo nacional será uma realidade muito antes do final do ano. Pelos contactos que temos tido e pelo compromisso que existe do Governo e do primeiro-ministro connosco. É matéria que será um facto antes do final do ano”, afirmou hoje Carlos Silva em conferência de imprensa, no final de uma reunião do secretariado nacional.

Leia também:Sabia que há 40 anos o salário mínimo era de 3300 escudos? Veja a evolução

O sindicalista disse esperar que o aumento do salário mínimo aconteça rapidamente, “sem envolver os portugueses em grandes lutas”.

Ainda assim, a UGT voltou a defender a atualização para os 500 euros a partir de 1 de julho, exigindo o pagamento de retroativos referentes ao período entre a data e a efetiva entrada em vigor do novo salário mínimo.

“Estamos hoje a 3 de julho, o salário mínimo não entrou, não houve qualquer acordo, não houve quaisquer desenvolvimentos nas nossas conversas. Por isso redigo: caso haja condições para implementar o salário mínimo, que ele pelo menos possa retroagir a 1 de julho”, disse o secretário-geral da UGT.

Carlos Silva disse que, “caso não haja condições” para retroatividade, “a UGT abandonará os 500 euros” e vai exigir um aumento superior, sem indicar de que montante, nem a partir de quando passará a fazer essa exigência.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens

Saídas para a reforma disparam 43% na função pública

Foto: DR

EDP flexibilizou pagamento de faturas no valor de 60 milhões de euros

Ministro de Estado, da Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira. TIAGO PETINGA/LUSA

Moratórias bancárias estendidas até final de setembro de 2021

UGT espera que atualização do salário mínimo entre em vigor até final do ano