Universidade do Porto

Universidade do Porto requalifica Faculdade de Economia por 5,6 ME

Edifício da Faculdade da Economia do Porto. Fotografia: Global Imagens
Edifício da Faculdade da Economia do Porto. Fotografia: Global Imagens

A Faculdade de Economia da Universidade do Porto vai ser alvo de obras no valor de 5,6 milhões de euros, que terão início em janeiro.

O edifício principal da Faculdade de Economia da Universidade do Porto (FEP) vai ser requalificado por 5,6 milhões de euros e as obras, com início previsto para janeiro, obrigam a encerrar o imóvel durante 13 meses, foi hoje divulgado.

“A Universidade do Porto vai investir 5,6 milhões de euros na requalificação do edifício principal da FEP, naquela que será a maior intervenção do edifício desde a sua inauguração, em 1974”, revelou a Faculdade, em comunicado.

Devido à “complexidade da intervenção”, o imóvel classificado como monumento de interesse público em 2013, “ficará encerrado a partir de janeiro”, passando as aulas e os exames para “infraestruturas temporárias” em instalação “no parque de estacionamento, junto à rua Dr. Roberto Frias, ou no Edifício das Pós-Graduações da FEP, que estará a funcionar em pleno”.

A empreitada tem “como objetivo a renovação integral” do edifício da autoria do arquiteto Alfredo Viana de Lima, “abrangendo o obelisco vertical, situado à entrada e da autoria do escultor José Rodrigues”.

De acordo com o gabinete de comunicação da FEP, a empreitada abrange também “as fachadas, as paredes interiores, a caixilharia, o aquecimento, as salas de aula, os gabinetes, os serviços, os espaços das organizações de estudantes, as instalações sanitárias, iluminação e pavimento”.

“Para além das zonas mais visíveis, será também remodelada toda a zona técnica, o saneamento, o fornecimento de água, o aquecimento/arrefecimento do Salão Nobre, e o conjunto de casas rurais na Quinta de Lamas”, acrescenta.

Segundo a FEP, os Serviços de Ação Social da Universidade do Porto (SASUP) “estão também a estudar a instalação de uma cantina num novo edifício, a construir posteriormente”.

Citado no comunicado, o reitor da Universidade do Porto, Sebastião Feyo de Azevedo, destaca que a intervenção resulta de “um acordo exemplar entre o Reitor e os diretores das 14 faculdades para a concretização de um vasto plano de reabilitação patrimonial que envolverá, a médio prazo, um investimento de 45 milhões de euros”.

O reitor assinala que o investimento “assegurará melhores condições de ensino, de investigação e de apoio social a estudantes, professores e investigadores, num esforço que terá um impacto significativo na qualidade do trabalho realizado pela Universidade do Porto”.

Para o diretor da FEP, José Varejão, está em causa “um investimento no futuro da Faculdade e nos seus estudantes”

“Como todos os investimentos, terá um custo no presente que procuraremos minimizar, mas que não poderemos evitar”, observou, citado no comunicado do gabinete de comunicação.

O diretor sublinha que, no fim das obras, a FEP “ficará em melhores condições para continuar a formar as futuras gerações de economistas e gestores, assegurando melhores condições de ensino, aprendizagem, investigação e trabalho a todos e constituindo cada vez mais um ponto de encontro entre estudantes, Alumni e os principais atores da realidade económica e empresarial”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Utentes à saída de um cacilheiro da Transtejo/Soflusa proveniente de Lisboa, em Cacilhas, Almada. MÁRIO CRUZ/LUSA

Salário médio nas empresas em lay-off simplificado caiu 2%

Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. Fotografia: António Cotrim/Lusa

Empresas já podem candidatar-se ao novo lay-off

App TikTok

Microsoft estará interessada na compra da operação global do TikTok

Universidade do Porto requalifica Faculdade de Economia por 5,6 ME