OE2018

UTAO. Governo obtém défice de 1% no 1º trimestre, mas fica acima da meta anual

défice centeno utao
O ministro das Finanças e presidente do Eurogrupo, Mário Centeno. Fotografia: ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Défice de 1% representa uma melhoria face ao período homólogo porque tinha sido de 10,6% há um ano por causa da capitalização da CGD.

O défice público medido em contabilidade nacional, a que vale para a Europa e o Eurostat, deverá ter ficado em 1% do produto interno bruto (PIB) no primeiro trimestre deste ano, estima a Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), numa nota divulgada no site do Parlamento.

“A estimativa para o défice do 1.º trimestre, em contabilidade nacional, aponta para um valor central de 1% do PIB, o que representa uma melhoria face ao período homólogo“, diz a UTAO no novo estudo relativo à execução até abril (em pdf). No primeiro trimestre do ano passado, o défice ficou em 10,6%.

Este “valor central” estimado pela UTAO é o ponto médio de um intervalo bastante amplo no qual o défice pode ir de 0,3% a 1,7%, diz a entidade parlamentar.

Recorde-se que esse défice do início de 2017 foi brutalmente agravado, em 3,9 mil milhões de euros, pela operação de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos. No entanto, a UTAO diz que excluindo medidas de natureza one-off (extraordinárias e pontuais), “o défice deverá ter registado uma redução de 1,1 pontos percentuais do PIB em termos homólogos”.

O défice de 1% no período de janeiro a março, estimado pela unidade que apoia os deputados em matéria de orçamento, deverá assim ter ficado abaixo do objetivo estabelecido inicialmente no OE2018 (1,1%), mas acima da previsão atualizada e apresentada no Programa de Estabilidade 2018-22 (em abril), que aponta para 0,7%.

A UTAO faz a ressalva de que “a estimativa realizada para o 1.º trimestre incorpora informação ainda muito parcelar, na medida em que diz respeito a apenas um trimestre do ano, não sendo por isso forçosamente indicativa do desempenho orçamental esperado para o conjunto do ano”.

Mas défice em contabilidade pública aumenta

O défice medido numa lógica de caixa, a da execução orçamental (saldo negativo entre a receita efetivamente encaixada e a despesa que foi libertada) aumentou no primeiro trimestre face a igual período do ano passado, observa a UTAO.

“O conjunto das Administrações Públicas evidenciou um défice orçamental no 1.º quadrimestre de 2018 superior ao observado no mesmo período do ano anterior. Tendo por referência o período janeiro-abril, observou-se uma variação homóloga negativa do saldo das administrações públicas, a qual é determinada por um aumento da despesa efetiva (1202 milhões de euros) acima do observado na receita efetiva (978 milhões de euros).”

“Até ao final de abril a receita continuou a crescer abaixo do objetivo anual, destacando-se a subexecução da receita de capital”, observam os técnicos.

Também neste período de quatro meses, do lado da despesa efetiva, o grau de execução “foi inferior ao observado no mesmo período do ano anterior”, mas parece não ter sido suficiente para compensar a execução mais fraca da receita.

A UTAO desagrega por subsetores e destaca “a deterioração homóloga do subsetor dos serviços e fundos autónomos (-528 milhões de euros) devido ao contributo das entidades públicas reclassificadas (-698 milhões de euros), bem como da administração local (-117 milhões de euros)”.

Em sentido oposto, a ajudar a elevar o saldo orçamental, “registou-se um aumento homólogo do saldo nos subsetores Estado (+260 milhões de euros), administração regional (+68 milhões de euros) e Segurança Social (+93 milhões de euros)”.

(atualizado às 18h05)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças e presidente do Eurogrupo, Mário Centeno. 
(ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA)

Défice encolhe para os 576 milhões de euros até agosto

Pedro Marques, ministro do Planeamento e das Infraestruturas. Fotografia: Sara Matos / Global Imagens

“Não há ninguém condenado” no caso da compra da VEM

TDT

Anacom quer ver resolvidos problemas da TDT antes da migração para 5G

Outros conteúdos GMG
UTAO. Governo obtém défice de 1% no 1º trimestre, mas fica acima da meta anual