Segurança Social

Valor do Indexante dos Apoios Sociais sobe para 421,32 euros

O Rendimento Social de Inserção aumentou 1,7% no último mês do ano de 2014.

Valor de referência para o cálculo das pensões e outras prestações da segurança social, que não era atualizado desde 2009, sobe 2,30 euros.

O valor do Indexante dos Apoios Sociais (IAS), referencial determinante na fixação, cálculo e atualização das prestações de segurança social, vai subir para 421,32 euros em 2017.

A portaria publicada esta terça-feira em Diário da República refere que a atualização do IAS decorre do facto de o valor médio do crescimento real do PIB nos últimos dois anos se situar abaixo de 2% e que a variação média do índice de preços no consumidor nos últimos 12 meses, sem habitação, nos últimos 12 meses, ter sido de 0,52% em dezembro.

“A taxa de atualização do IAS é arredondada até à primeira casa decimal, ou seja, corresponde a 0,5%”, lê-se na portaria assinada pelos ministros das Finanças e do Trabalho.

O IAS não era atualizado desde 2009.

RSI fica nos 183,84 euros

De acordo com outra portaria publicada esta terça-feira, assinada pela secretária de Estado da Segurança Social, o governo decidiu uma nova reposição de 25% do corte verificado no Rendimento Social de Inserção (RSI) em 2012, fixando agora o valor de referência em 183,84 euros.

Em 2016, o executivo já tinha procedido a uma atualização do valor de referência do RSI que correspondeu a uma reposição de 25% do corte verificado em 2012.

O valor do RSI corresponde a 43,634% do valor do indexante dos apoios sociais. A portaria estabelece que este valor “aplica-se às prestações de RSI em curso e aos requerimentos que estejam pendentes de decisão por parte dos serviços competentes”. A governante determina ainda que, “após a data da sua entrada em vigor, o recálculo da prestação em todos os processos com base no valor de referência previsto” no diploma.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
boris johnson brexit

Brexit: Um acordo que responde “às circunstâncias únicas da Irlanda”

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Outros conteúdos GMG
Valor do Indexante dos Apoios Sociais sobe para 421,32 euros