Venda de casas aumenta 27,4% em 2015

Em 2015 transacionaram-se 107 302 alojamentos familiares, mais 27,4% que em 2014, de acordo com a APEMIP

Em 2015 transacionaram-se 107 302 alojamentos familiares, mais 27,4% que em 2014, tendo o quarto trimestre do ano registado um total de 29 835 alojamentos transacionados, registando um aumento homólogo de 16,8%, e de 10% face ao trimestre anterior, de acordo com os dados do Gabinete de Estudos da APEMIP – Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal.

Números que confirmam as estimativas do presidente da APEMIP, Luís Lima, que em janeiro deste ano previa um aumento considerável no número de transações, na ordem dos 25 a 30%. A evolução positiva que se tem registado desde 2013, confirma o sentido crescente a que imobiliário português tem assistido e reafirma a retoma deste que é um sector tão importante para a economia do país”, sublinha.

O aumento na venda de alojamentos familiares justifica-se essencialmente pela “dinamização do mercado interno, que foi positivamente influenciada pelo crescente interesse de estrangeiros pelo imobiliário português. A par disso, há que referir também uma descrença generalizada face às opções de investimento promovidas pelo setor financeiro, que deram lugar à procura de uma alternativa credível como é o sector imobiliário, que se apresenta com um enorme potencial de valorização, funcionando como uma alternativa segura para os investimentos”.

Luís Lima realça ainda o caráter sustentável destas transações, uma vez que “se verifica uma discrepância entre o montante de crédito atribuído e o valor das vendas efetuadas, demonstrado que a grande parte das aquisições é feita por investidores e sem recurso a crédito bancário. Este é um cenário que poderá verificar-se durante muitos anos, se o mercado mantiver uma evolução sustentada”, declara.

Centrando a análise na evolução de Preços, de acordo com o INE, o índice de preços da habitação, entre outubro e dezembro de 2015, registou um aumento de 5% face ao mesmo período do ano anterior, correspondendo a um aumento de 1.6 pp do que o registado no trimestre passado, onde tinha sido observado um aumento de 3,4%.

No período em análise, a taxa de variação homóloga situou-se em 5,1%, para alojamentos existentes e 4,8% para alojamentos novos.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de