Venezuela

Venezuela: Taxa de inflação de 130 060% em 2018

EPA/RAYNER PENA
EPA/RAYNER PENA

FMI diz que esta taxa foi 10 vezes acima dos cálculos do Banco Central da Venezuela, que não divulgava dados há três anos.

O Banco Central da Venezuela anunciou, na terça-feira, que a inflação no país em 2018 foi de 130.060,2% e que entre 2013 e o ano passado a economia contraiu 47,6%.

Há três anos que as autoridades venezuelanas não divulgavam dados sobre a inflação.

Segundo o Banco Central venezuelano, a inflação em 2016 cifrou-se nos 274,4% e em 2017 foi de 862,6%.

Os dados apresentados relativos à inflação no ano passado (130.060,2%) distam dos valores divulgados pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), que avaliou a inflação no país em 1.370.000%, em 2018. Para 2019, o FMI prevê uma inflação de 10.000.000%.

O Banco Central da Venezuela anunciou ainda que que as exportações de petróleo, que representam 96% da receita da América do Sul, caíram para 29,81 mil milhões de dólares (cerca de 27 mil milhões de euros) em 2018.

Em 2013, as exportações de petróleo fizeram entrar nos cofres do Estado 85,6 mil milhões de dólares, e no ano seguinte 71,732 mil milhões de dólares, ano em que os preços do petróleo caíram drasticamente e provocaram uma profunda crise que afeta a Venezuela desde então.

Embora os preços do petróleo tenham recuperado a partir de 2016, uma forte queda na produção venezuelana impediu a recuperação financeira do país.

Segundo dados oficiais, a oferta de petróleo venezuelano, que era de 3,2 milhões de barris por dia há dez anos, foi de apenas 1,03 milhões no mês.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Lisboa, 22/11/2019 - Money Conference, Governance 2020 – Transparência e Boas Práticas no Olissippo Lapa Palace Hotel.  António Horta Osório, CEO do Lloyds Bank

( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

Horta Osório: O malparado na banca portuguesa ainda é “muito alto”

Outros conteúdos GMG
Venezuela: Taxa de inflação de 130 060% em 2018