Banco de Portugal

Viana e Aveiro são os distritos mais exportadores do país

António Costa, primeiro-ministro, numa empresa em Paredes de Coura. Fotografia: Estela Silva/LUSA
António Costa, primeiro-ministro, numa empresa em Paredes de Coura. Fotografia: Estela Silva/LUSA

Sector exportador tem 23,5 mil empresas (6% do total em Portugal), sendo responsáveis por um terço do volume de negócios e um quarto do emprego.

Em 2016, mais de metade da faturação das empresas dos distritos de Viana do Castelo e Aveiro vem de atividades exportadoras, dimensão que não tem paralelo em mais nenhuma região. O mesmo acontece na importância do emprego no sector exportador (mais de um terço do total), juntando-se Braga a esse grupo.

De acordo com um novo estudo do Banco de Portugal intitulado “Análise das empresas do sector exportador em Portugal 2007-2016”, divulgado nesta quarta-feira, “o peso do setor exportador era mais significativo nos distritos de Viana do Castelo e de Aveiro: 52% e 51% do volume de negócios gerado pelas empresas com sede nestes distritos, respetivamente, tinha origem em empresas exportadoras”.

O norte vence destacado no capítulo da faturação dos exportadores sedeados nas respetivas regiões. Além de Viana e Aveiro, em Braga o peso do sector exportador já vai em quase 45,4% do total das vendas do distrito. Em Bragança, o peso era de 45% em 2016, indica o trabalho do banco central.

A média nacional é de 33,9%. Lisboa e Porto são dos distritos com menor intensidade exportadora (29,7 e 34,9%, respetivamente.

Também em 2016, acontece algo parecido no emprego. Aveiro lidera, com o seu sector exportador a valer 41,2% do emprego total da região, logo seguido de Braga (35,6%) e Viana do Castelo (33,9%).

A média nacional é, uma vez mais, muito baixa: as atividades exportadoras representam apenas 23,4% do emprego total. Em Lisboa, a percentagem é 16,9%; no Porto é 27,1%.

O Banco de Portugal não explica, mas um estudo recente da CCDR-Norte dá algumas pistas.

Diz que Melgaço é o segundo maior exportador do Norte em borrachas e pneus. Valença e Monção lideram o top 10 das vendas de materiais metálicos.

Caminha é o maior exportador de peixe. Arcos de Valdevez é um dos maiores exportadores de materiais plásticos.

Vila Nova de Cerveira é o segundo maior exportador de para veículos automóveis, seguida de Paredes de Coura e de Ponte de Lima. Viana do Castelo é líder na exportação de aparelhos eletrónicos.

Apenas 6% das empresas são exportadoras

Em 2016, o sector exportador contava com 23,5 mil empresas (6% do total das empresas em Portugal), sendo “responsáveis por um terço do volume de negócios e cerca de um quarto das pessoas ao serviço do total das empresas”, diz o Banco de Portugal.

“O número de empresas exportadoras aumentou 42% entre 2007 e 2016”, sendo que essas 23,5 mil empresas exportadoras representaram 34% da faturação nacional e 23% do emprego total.

“Atendendo ao volume de negócios, o peso do sector exportador aumentou 7 pontos percentuais em relação a 2007”, refere o estudo.

O sector dos exportadores é claramente dominado pelas chamadas indústrias transformadoras. Estas são 15% do número de empresas, valem 71% do volume de negócios nacional e 55% do emprego total.

“O volume de negócios das empresas exportadoras tem demonstrado maior dinamismo, mas diminuiu em 2016”, também “foram mais rentáveis do que as restantes empresas, embora em 2016 a diferença se tenha atenuado”. “As empresas do sector exportador apresentaram maior autonomia financeira”, refere o BdP.

“São consideradas empresas exportadoras as entidades cujas exportações correspondem a pelo menos metade do volume de negócios ou a 10% do volume de negócios caso as exportações excedam os 150 mil euros”, diz a definição oficial.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa. (Gonçalo Villaverde / Global Imagens)

Arrendamento vitalício só para quem vive há 25 anos na mesma casa

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Défice estabiliza em 377 milhões de euros no primeiro trimestre

Mario Draghi. Fotografia: REUTERS/Francois Lenoir

Draghi. Crescimento europeu está a perder alguma força

Outros conteúdos GMG
Viana e Aveiro são os distritos mais exportadores do país