Vinho do Porto. Vendas em Portugal estão 30% abaixo do período pré-pandemia

Apesar da quebra do mercado nacional, fruto do decréscimo acentuado de turistas, as vendas totais do setor estão já 1,22% acima dos primeiros sete meses de 2019

As vendas de vinho do Porto estão já a recuperar nos mercados internacionais, para níveis superiores ao período pré-pandemia, mas no mercado nacional a performance continua aquém. A falta de turistas não permitiu ainda a recuperação. No total, o setor vendeu mais de 37 milhões de litros nos primeiros sete meses do ano, correspondentes a quase 184,9 milhões de euros. É um crescimento de 1,22% em valor e de 0,28% em volume comparativamente a igual período de 2019.

No entanto, o mercado nacional -, que em 2017 ascendeu à posição de maior mercado consumidor de vinho do Porto, em valor, e assim se manteve até 2019, destronando a França - foi no ano passado duramente afetado pela pandemia. As restrições nas viagens, e o receio dos turistas em viajar, acabou por levar a uma quebra substancial nas vendas em Portugal, que regrediram 37%, correspondentes a menos 27,3 milhões de euros do que em 2019. No total, o vinho do Porto foi dos mais afetados pela pandemia, fechando 2020 com quebras totais de 10%, recuando dos 377 milhões vendidos, em 2019, para 339 milhões, no ano passado

Já este ano, e apesar da retoma internacional - em especial de países como os Estados Unidos, cujas importações de vinho do Porto estão a crescer acima dos 40% acima dos valores de 2019, bem como Alemanha (+40,10%), Rússia (+65,13%), Suíça (+27,38%), Itália (+26,23%), Suécia (+39,33%) ou Irlanda (+30,42%) -, a verdade é que o mercado nacional está ainda longe da recuperação. Está a cair 30,12% face aos primeiros sete meses de 2019, num total de quase 25 milhões de euros.

"Agosto é um mês fundamental nas vendas de vinho do Porto no mercado nacional, devido ao turismo. Não temos ainda dados de agosto, mas os nossos associados reportam-nos, pelas visitas às caves, que foi um mês forte para o turismo", diz a diretora-geral da Associação das Empresas do Vinho do Porto.

Isabel Marrana lembra que as próprias empresas aproveitaram a pandemia para se renovarem do ponto de vista das vendas. "As quebras foram muitas, durante este ano e meio de pandemia, e as empresas aproveitaram para lançar novos produtos e novas categorias, mostrando que o setor se mantém ativo, moderno e resiliente", sustenta. Em causa estão nos produtos como o Porto Tónico pronto a beber, em lata ou garrafa, e as novas menções como o Porto Tawny 50 anos e o "Very Very Old Tawny". As empresas aguardam apenas a publicação das novas categorias especiais em Diário da República para as colocar no mercado.

Quanto aos vinhos do Douro, estão a crescer 8,6% em valor e 5,52% em volume face aos primeiros setes meses de 2019, para um total de mais de 23 milhões de litros no valor de 98 milhões de euros. "O Douro retomou o potencial de crescimento com que estava em 2019. No ano passado, com o fecho da restauração, as gamas mais altas sofreram, mas este ano os números estão muito positivos", sublinha Isabel Marrana.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de