Vistos gold. Chineses voltam a liderar investimento em mês de forte queda

Desde 2012, foram atribuídos 8413 vistos gold, num investimento global de 5.111 milhões de euros. A China lidera destacada a atribuição de ARI.

Os chineses voltaram a liderar em março o número de Autorizações de Residência para Atividade de Investimento (ARI ou, como são mais conhecidos, vistos gold) via aquisição de imóveis. No passado mês, foram atribuídos 11 vistos gold a cidadãos provenientes da China, de acordo com os dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras. Contudo, desde o início do ano que não eram atribuídas tão poucas autorizações de residência nem o investimento era tão baixo.

O fim anunciado dos vistos gold e o novo coronavírus deverão ter impactado negativamente o investimento no passado mês. Segundo as estatísticas do SEF, em março foram atribuídas um total de 55 ARI, das quais 51 por aquisição de imóveis e quatro por transferência de capital. O investimento global foi de 27,99 milhões de euros, dos quais 25,6 milhões respeitam a compra de casas.

Em fevereiro, mês em que também se registou um menor interesse dos investidores estrangeiros quando comparado com janeiro, foram atribuídos 70 vistos gold, com 64 a terem luz verde por aquisição de imóvel. Nesse mês, foram os brasileiros os mais ativos ao nível do investimento imobiliário. As ARI geraram 46,2 milhões de euros, com a área do imobiliário a pesar 39,2 milhões.

No acumulado do primeiro trimestre deste ano, os vistos gold geraram um investimento de aproximadamente 120 milhões de euros, uma quebra de 38% face aos 196 milhões registados em igual período de 2019.

Entre outubro de 2012, quando arranca o regime das ARI, até março deste ano, foram atribuídos 8413 vistos gold, num investimento global de 5.111 milhões de euros. A China lidera destacada a atribuição de vistos gold, contabilizando 4503, segue-se o Brasil, com 886. No top cinco, figura ainda a Turquia (399 autorizações), África do Sul (331) e Rússia (309).

Os vistos gold atribuídos por aquisição de bens imóveis atingiram os 7925, tendo gerado um investimento de 4.613 milhões de euros. O SEF regista ainda 471 autorizações por transferência de capital e 17 por criação de postos de trabalho.

Recorde-se que em fevereiro foi aprovado na discussão na especialidade do Orçamento do Estado 2020 uma proposta do PS de autorização legislativa sobre o regime das ARI, que reuniu os votos a favor do PS e PSD.

A medida visa restringir aos territórios do interior do país e das regiões autónomas dos Açores e da Madeira os investimentos em imobiliário com vista à obtenção de um visto gold, e aumentar o valor mínimo dos investimentos e do número de postos de trabalho a criar.

Em simultâneo, pretende aliviar a pressão do mercado imobiliário em Lisboa e no Porto, terminando com a possibilidade de obtenção de um visto gold através da aquisição de imóveis nestas cidades e nas Comunidades Intermunicipais do Litoral.

A autorização legislativa tem a duração do ano a que corresponde o OE 2020.

 

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de