Vítor Bento: “O país empobreceu menos do que parece”

Vítor Bento
Vítor Bento

A correção que aconteceu nos últimos três anos não resultou num empobrecimento tão forte em Portugal como as pessoas pensam. É a opinião de Vítor Bento, economista e conselheiro de Estado, que falava hoje num painel do V Congresso da Distribuição Moderna, organizado pela APED.

“O país empobreceu menos do que parece. O país já era pobre, vivia era com vida de rico”, afirmou o economista, no contexto do financiamento das empresas portuguesas com recurso a dívida.

“O país tinha um rendimento menor que a despesa que fazia. Criávamos a aparência de ser mais ricos”, considerou. “Teve de se ajustar a despesa para o rendimento que existe e, no processo, o rendimento caiu. Esta segunda parte é que é o verdadeiro empobrecimento”, indicou. “O resto é empobrecimento aparente, porque a riqueza também era aparente.”

Vítor Bento afirmou ainda que não acredita num regresso ao endividamento. “Duvido que a economia volte rapidamente aos níveis de endividamento que teve. Não haverá quem empreste”, sublinhou.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

EDP. (REUTERS/Eloy Alonso)

Concorrência condena EDP Produção a multa de 48 milhões

Secretário de Estado da Proteção Civil, José Artur Neves.
Maria João Gala / Global Imagens

Secretário de Estado da Proteção Civil demitiu-se

Outros conteúdos GMG
Vítor Bento: “O país empobreceu menos do que parece”