Vítor Gaspar: Subsídios de Natal e Férias completos só em 2018

Vítor Gaspar
Vítor Gaspar

O ministro das Finanças afirmou hoje que os subsídios serão repostos a uma cadência de 25% ao ano, ou seja apenas no final de 2018, os funcionários públicos poderão voltar a gozar de ambos os subsídios na sua totalidade.

“Relativamente à questão dos cortes temporários, a posição política é exactamente a que foi expressa pelo primeiro-ministro, isto é a reposição dos subsídios de férias e de natal bem como a reposição do corte observado em 2011, terão de ser feitas gradualmente a partir de 2015 e o ritmo será condicionado pela existência de espaço orçamental”.

Esta é contudo ainda uma hipótese de trabalho que admite que a reposição dos subsídios seja realizada a 25% ao ano.

Gaspar disse também que o défice esperado para 2013 será de 3% do PIB, havendo uma coincidência com o saldo da administração pública e o tecto dos défices.

Vítor Gaspar afirmou que “as receitas fiscais mantêm-se iguais, havendo apenas alterações do lado da despesa”.

“Como foi enfatizado desde o primeiro momento, à medida que o tempo passa o peso do ajustamento que é da responsabilidade da despesa aumenta”. Como referiu o responsável, “as receitas fiscais e receitas totais têm uma grande responsabilidade do lado do PIB”.

Na apresentação do documento de estratégia orçamental, Vítor Gaspar afirmou anda que em 2015 o défice será de 1% e que em 2016 haverá um défice de 0,5% do PIB, igual ao défice estrutural.

O ministro das Finanças referiu ainda que para 2012, não existirão medidas adicionais, uma vez que “as medidas são as que estão previstas no programa de ajustamento e que estão com mais detalhe no Orçamento Retificativo”.

Ainda assim, esta “execução orçamental apenas poderá ser lida com clareza em finais de Junho, no final do semestre”.

Este documento hoje apresentado irá, também hoje, para a Assembleia da República, sendo que poderá ser alterado se assim for necessário. De qualquer forma será tornado público ainda no decorrer do dia de hoje.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Presidente da BP Portugal, Pedro Oliveira.
(Jorge Amaral/Global Imagens)

Combustíveis. Portugal perde vendas até 430 milhões para Espanha

José Galamba de Oliveira, Presidente da Associação Portuguesa de Seguradores.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Galamba de Oliveira: “É preciso um fundo para responder a grandes catástrofes”

trump-merkel_770x433_acf_cropped-1

Trump diz que UE, China e Rússia são inimigos dos EUA

Outros conteúdos GMG
Vítor Gaspar: Subsídios de Natal e Férias completos só em 2018