Turismo

Volta ao mundo em 119 dias leva cem portugueses a 12 mil euros cada

O navio MSC Magnifica parte hoje de Génova, em Itália, e a bordo vão cerca de cem portugueses. Fotografia: Adelino Meireles/Global Imagens
O navio MSC Magnifica parte hoje de Génova, em Itália, e a bordo vão cerca de cem portugueses. Fotografia: Adelino Meireles/Global Imagens

MSC, líder nos cruzeiros, apostou no lançamento de viagens à volta do mundo. Programa de 2019 esgotou. Já estão à venda os circuitos para 2020 e 2021.

Hoje, dia 5, parte de Génova (Itália) o cruzeiro MSC Magnifica para uma viagem inaugural de 119 dias e paragem em 49 destinos, de 32 países, nos seis continentes. A bordo desta volta ao mundo vão mais de 3300 passageiros, dos quais cerca de cem são portugueses. A viagem neste luxuoso hotel flutuante custa um mínimo de 11 889 euros. Este é o primeiro cruzeiro pelos seis continentes promovido pela MSC, a maior companhia de cruzeiros privada do mundo. O sucesso da iniciativa já levou a empresa a lançar a volta ao mundo para 2020 e 2021.

São três meses num navio onde um pedido é uma ordem. O MSC Magnifica é mais do que um hotel cinco estrelas, é uma pequena cidade que cruza os mares. O turista só tem de escolher como quer passar o tempo, enquanto não chega a próxima escala para poder voltar a pisar terra e descobrir as várias cidades do trajeto. Nesta primeira viagem, a MSC apostou num itinerário que reúne destinos convencionais, como o Funchal ou o Mediterrâneo, ou locais mais exóticos, de que são exemplo Bora Bora, Fiji ou as Maldivas.

O MSC Magnifica está pronto a largar. O navio é um pequeno colosso com os seus 300 metros de comprimento e mais de 50 de altura, tudo envolvido numa armação de 95 mil toneladas. Dispõe de 12 decks, cinco dos quais albergam as suas 1100 cabines, quatro restaurantes, 11 bares, três piscinas (uma interior e com teto retrátil), um campo de ténis ou de futebol (consoante o desejo dos praticantes), uma sala de espetáculos com 1100 cadeiras, uma discoteca, um casino, um spa, lojas, cabeleireiro, galeria de arte, biblioteca, ginásio, um miniclub dedicado às crianças…

É uma pequena cidade, habitada por três mil turistas de diversas origens cujo objetivo essencial é desfrutar de uma viagem de sonho. E há uma tripulação de perto de mil pessoas de várias nacionalidades dispostas a tornar o sonho uma realidade, que põe o navio a funcionar e os turistas a turistar. A dimensão deste empreendimento é gigantesca. Logo que entra no MSC Magnifica, o viajante é convidado a encadear-se com as luzes e decoração do grande hall, onde tudo é resplandecente e sumptuoso, e a dirigir-se ao balcão como num verdadeiro hotel.

Um pouco por todo o lado encontra-se um membro da tripulação, seja para ajudar o viajante a desfrutar do buffet (aberto 20 horas por dia) ou a sentar-se num dos dois restaurantes à la carte ou mesmo no temático. E, enquanto atravessa os oceanos, o passageiro tem à disposição as piscinas, com a segurança de nadadores-salvadores, o spa e o ginásio, onde trabalham massagistas e professores de ginástica, o cabeleireiro de homens e senhoras, uma discoteca, ou uma sala de jogo de fortuna e azar, com os respetivos croupiers.

Música e alegria
Uma das apostas da MSC é o entretenimento. A filosofia de uma viagem em cruzeiro assenta na diversão e distração dos passageiros. Na sala de espetáculos do MSC Magnifica, um anfiteatro para mais de mil pessoas, há todas as noites dois espetáculos, num programa que abarca musicais, comédias, concertos de música clássica, teatro.

O agendamento diário de dois eventos pelas horas de jantar é para que todos os passageiros tenham possibilidade de assistir ao evento e, em simultâneo, os restaurantes possam responder tranquilamente ao fluxo de comensais. No navio há quase 80 artistas a bordo para tornar únicas as noites, altura em que o navio cruza em pleno as águas oceânicas. Dar um passo de dança na discoteca do navio, descontrair num dos bares ou assistir a um filme no cinema 4D são algumas das muitas propostas. Até porque a MSC apostou em escalas mais longas do que o habitual e em noites atracadas a destinos considerados de eleição.

As viagens de cruzeiro têm registado um crescimento exponencial e, por isso, o grupo tem 15 navios a operar e tem projetos para mais do que dobrar a frota até 2027. A MSC é a companhia número um em Portugal, com um total de 22 158 passageiros no ano passado, num mercado em que apenas cerca de 55 mil portugueses realizam cruzeiros. Em 2018, a MSC Portugal terá transportado mais 20% de viajantes.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa Fotografia: Rodrigo Cabrita / Global Imagens

Medidas do Banco de Portugal para travar riscos no imobiliário são “adequadas”

Lisboa Fotografia: Rodrigo Cabrita / Global Imagens

Medidas do Banco de Portugal para travar riscos no imobiliário são “adequadas”

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Finanças destacam período de crescimento mais sustentável das últimas décadas

Outros conteúdos GMG
Volta ao mundo em 119 dias leva cem portugueses a 12 mil euros cada