Brexit

Von der Leyen insta Londres a dizer que acesso quer ter ao mercado único

Ursula Von der Leyen, presidente da Comissão Europeia. REUTERS/Vincent Kessler
Ursula Von der Leyen, presidente da Comissão Europeia. REUTERS/Vincent Kessler

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, instou hoje o Reino Unido a comunicar que tipo de acesso quer ter ao mercado da União Europeia (UE) no futuro, quando ficar consumada a sua saída.

“Cabe aos nossos parceiros britânicos dizer que acesso querem ao mercado europeu, que é o maior do mundo”, indicou Von der Leyen numa declaração à imprensa após reunir-se com o chanceler austríaco, Sebastian Kurz.

A presidente da Comissão referiu-se assim à futura relação entre a União Europeia e o Reino Unido, que têm de negociar antes do final do ano, uma vez concretizado o Brexit a 31 de janeiro próximo.

“A partir de 01 de fevereiro seremos velhos amigos, mas teremos de encontrar novas formas e enfoques para o futuro”, assinalou a política alemã, acrescentando que “a questão de quão próximos ou distantes vamos estar do mercado interno, é algo que ainda teremos que discutir e afinar”.

De acordo com a presidente da Comissão Europeia, “quanto mais próximo o Reino Unido ficar, e mais próximo das regras da UE em relação ao mercado interior, melhor será para eles, para o seu acesso, e vice-versa”.

A partir de 01 de fevereiro, e durante 11 meses, o Reino Unido irá manter-se integrado nas estruturas comunitárias e irá cumprir as normas da União Europeia.

Passado esse período de transição, deverá entrar em vigor um novo tratado bilateral entre Londres e Bruxelas a fim de evitar um cenário semelhante ao de um Brexit sem acordo.

Von der Leyen já advertiu que é “impossível” negociar um tratado comercial completo durante esse período de tempo, mas o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, sublinhou que não tem intenção de pedir nenhum adiamento.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

1400 empresas já pediram para aderir ao novo lay-off, apoios só a 28 de abril

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (MANUEL DE ALMEIDA/LUSA)

Marcelo. “Não se pode esperar um, dois, três meses por respostas europeias”

coronavírus em Portugal (covid-19) corona vírus

140 mortos e 6408 casos confirmados de covid-19 em Portugal

Von der Leyen insta Londres a dizer que acesso quer ter ao mercado único