Retalho Alimentar

Empregados do Walmart entregam compras a caminho de casa

Programa quer combater estratégia de entregas da Amazon aproveitando os percursos que os funcionários fazem no dia-a-dia.

O retalhista norte-americano Walmart está a testar um programa de entrega de compras ao domicílio aproveitando os percursos que os seus funcionários efetuam no dia-a-dia, numa tentativa de fazer frente às entregas da Amazon.

Os trabalhadores poderão ganhar dinheiro extra sem se desviarem do caminho para casa, noticia a Bloomberg. O teste, para já, será efetuado em apenas três lojas de New Jersey e Arkansas.

“Imagine todas as rotas que os nossos colaboradores percorrem, a caminho e no regresso do trabalho, e todas as casas por onde passam”, explicou Mar Lore, responsável pela operação de comércio eletrónico do Walmart desde o ano passado, desde que o retalhista lhe adquiriu a startup Jet.com por 3,3 mil milhões de dólares (quase três mil milhões de euros).

O Walmart possui cerca de 4700 lojas nos EUA – cerca de 90% da população vive num raio de 10 milhas (16 km) de uma loja Walmart – e mais de um milhão de funcionários. Se conseguir utilizar a localização de cada uma das lojas como ponto de distribuição, não terá de fazer um grande investimento à cabeça para competir com a Amazon e conseguirá, em teoria, fazer entregas de um dia para o outro. “Nos testes, muitas encomendas online foram entregues de um dia para o outro recorrendo aos funcionários das lojas”, disse Lore.

Com a previsão de as vendas online aumentarem nos EUA 16% este ano, um ritmo quatro vezes superior ao do comércio tradicional, para 462 mil milhões de dólares (cerca de 412 mil milhões de euros), os retalhistas tradicionais procuram competir nesse mercado. Porém, os tradicionais retalhistas online estão também a fazer o movimento inverso: a Amazon está a abrir lojas e quiosques de entregas em cidades grandes para apresentar livros e equipamentos eletrónicos e competir, por sua vez, com a oferta “clique e recolha” do Walmart e de outros grandes retalhistas.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gustavo Bom/Global Imagens

Não conseguiu validar as faturas para o IRS? Contribuintes têm mais um dia

O ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação das obras de arte da coleção BPN, agora integradas na Coleção do Estado, no Forte de Sacavém. Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Fundo de Resolução já pagou em juros 530 milhões ao Estado e 90 milhões a bancos

(Filipe Amorim / Global Imagens)

Venda do Novo Banco é “um não-assunto” para o Fundo de Resolução

Empregados do Walmart entregam compras a caminho de casa