Empreendedor

WE’BIZ European Policy aponta caminhos para Portugal ser uma scaleup

Edifício da Alfândega do Porto.Centro de Congressos. Fotografia:  Pedro Granadeiro / Global Imagens
Edifício da Alfândega do Porto.Centro de Congressos. Fotografia: Pedro Granadeiro / Global Imagens

A WE’BIZ European Policy visa encontrar medidas para o crescimento das scaleups nacionais.

Como é que Portugal se pode transformar numa nação scaleup é a principal questão a que a WE’BIZ European Policy Portugal – Sweden, uma ação organizada pela ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários e a EIT Digital, em parceria com a Building Global Innovators, quer responder.

A WE’BIZ European Policy Portugal-Sweden, iniciativa enquadrada no programa de ações da 20ª Feira do Empreendedor, tem lugar hoje, entre as 18,30 e as 20,30 horas, na Alfândega do Porto, visa despoletar uma discussão sobre a colaboração, a cooperação e a importância de desenhar e executar medidas que viabilizem o desenvolvimento do movimento scaleup no ecossistema empreendedor nacional.

Subordinada ao tema “How Sweden became a scaleup nation?”, a iniciativa tentará responder a questões como: “A Suécia é o país com mais sucesso na Europa a escalar startups. Como é que a Suécia se tornou uma nação scaleup? O que é que Portugal pode aprender com exemplo sueco? O que foi feito em Portugal até agora? O que é que Portugal precisa para se tornar uma nação scaleup?”.

Desta forma, o debate responde a um dos objetivos que levaram a ANJE e a EIT Digital a celebrar um acordo de parceria, que visa a promoção e o crescimento das scaleups portuguesas: a aprendizagem com nações, ecossistemas e agentes de referência, que têm já um histórico significativo de startups a seu cargo, que evoluíram com sucesso para o estágio scaleup e expandiram a sua área de intervenção e influência no mercado.

Para o presidente da ANJE, Adelino Costa Matos, Presidente da ANJE, destaca a importância da iniciativa pelos possíveis resultados das reflexões em palco e pelos agentes envolvidos no programa. “Creio que estão reunidas as condições para uma sessão produtiva e com várias lições a extrair, tendo sempre presente o objetivo de contribuir para o crescimento das scaleups a despontar em Portugal”.

Cooperação

Para ser entender o sucesso da Suécia, e o que faz os nórdicos serem tão especiais, Lars Ling (CEO e fundador da CleanTech Region Climate Solutions) vai partilhar algumas características distintivas dos quadros, gestores e empreendedores nórdicos.

A seguir Fredrik Ring (VP/Head of Commercialization Data Driven Business da Tieto) vai abordar a relação de colaboração estabelecida pelas corporates e startups na Suécia, tendo por base a experiência profissional vivida na multinacional tecnológica Tieto para explicar como as pequenas e grandes empresas trabalham em conjunto na construção de soluções disruptivas para o mercado.

A terceira e última intervenção dedicada à nação Sueca com o título “Learnings from a decade with Swedish & Global entrepreneurs”. Jonas Almeling (Head of Innovation & Ecosystems da Business Sweden) conta com mais de dez anos de experiência na Business Sweden, player que ajuda as empresas suecas a escalarem para o mercado global e organizações externas a investirem e crescerem na nação nórdica. Na sua intervenção, o orador vai partilhar as melhores práticas e lições que recolheu desde que iniciou funções na Business Sweden.

Falta a resposta à questão: “How can Portugal become a scaleup nation too?”. Essa será dada por Simon Schaefer (CEO da StartUp Portugal) o responsável máximo pelo planeamento e implementação da estratégia nacional para o empreendedorismo. E para a complementar esta resposta estará o quadro de nacionalidade sueca, Felix Lange (Lead UX Designer at Aptoide), que vai revelar a experiência que está a viver na scaleup portuguesa.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Franceses, britânicos e italianos foram os que mais pediram o estatuto de residente não habitual. Fotografia: D.R.

Residentes não habituais aumentaram 83% no último ano e meio

O turismo está a impulsionar o investimento hoteleiro no país. Fotografia: D.R.

Vão abrir portas mais 44 hotéis em 2019

António Pires de Lima

Nova plataforma quer colocar gestores experientes ao serviço das empresas

Outros conteúdos GMG
WE’BIZ European Policy aponta caminhos para Portugal ser uma scaleup