Bancos compensam travão nas subidas do MBWay com aumento de comissões

Com as atuais comissões fazer cinco ou seis transferências online por mês poderá implicar um custo anual entre 60 euros a 72 euros para os clientes.

Os bancos compensaram o travão Parlamentar à subida das comissões das transferências do MBWay com uma subida das comissões das transferências online. Fazer cinco ou seis transferências online por mês poderá implicar um custo anual entre 60 euros a 72 euros, noticia o Público.

Desde 1 de janeiro que as transferências através da MBWay estão isentas de custos até determinados limites, como pagamentos ou transferências até 30 euros por operação, até 150 euros durante um mês, ou 25 transferências realizadas num mês, sendo que nos restantes casos os consumidores pagam 0,2% sobre o valor da operação quando usam cartão de débito ou 0,3 % no caso de cartões de crédito.

Já os custos das transferências online têm vindo a ser agravados. Tirando as feitas por Multibanco - que são gratuitas - os custos das transferências online subiram em dois dos cinco maiores bancos, um deles a Caixa Geral de Depósitos (CGD), que partir de 1 de maio, sobe dos atuais 0,80 euros para 0,95 euros (acresce imposto de selo). No Millennium BCP comissão sobe, a partir de 17 de maio, de 1 euro para 1,10 euros. Nos restantes três bancos, e segundo um levantamento dos preçários realizado pelo ComparaJá.pt para o jornal Público, fora das contas pacote (que agregam vários serviços), no BPI é cobrada uma comissão de 1 euro, de 1,10 euros no Novo Banco, e 1,25 euros no Santander.

Feitas a contas, partindo de um montante mínimo de um euro cada, fazer cinco ou seis transferências online por mês pode implicar um custo anual entre 60 euros a 72 euros, refere o jornal.

O custo sobe se o consumidor optar por fazer uma transferência imediata também pela Internet, permitindo que o dinheiro fique disponível em 10 segundos na conta do destinatário em vez das 24 horas habituais. Os custos atuais variam entre 1,50 euros da CGD até 2,50 euros no Novo Banco. No BPI tem um custo de 2 euros, acima de 1,70 euros do Millennium BCP e do Santander.

No balcão as transferências, independentemente do montante, custa 6 euros (em cinco dos bancos), sendo que no Novo Banco esse valor sobe para 7,50 euros quando o montante é superior a 5 mil euros. Por telefone, com operador, o custo é de 6 euros na CGD e no Millennium BCP, sendo de 5,50 euros, nos restantes três.

As transferências entre contas do mesmo banco são gratuitas na generalidade dos bancos, mas apenas quando efetuadas através da Internet. Quando são feitas ao balcão ou por telefone com operador, para um outro beneficiário, têm um custo quatro dos cinco bancos - no BPI (1,15 euros ao balcão e 1,05 euros por telefone), os restantes os custos sobem para 1,70 euros no Millennium BCP, 1,84 euros na Caixa, 1,90 euros no Novo Banco, não havendo diferença entre balcão e telefone. Apenas o Santander não cobra qualquer valor.

Levantar dinheiro ao balcão também tem custos. Com algumas exceções, como clientes analfabetos, invisuais, ou com reformas muito baixas, e clientes com conta de serviços mínimos, os custos de levantamento de numerário vão dos 4,50 euros no BCP e BPI, até aos 12 euros (12,48 euros com imposto de selo) no Novo Banco.

Na CGD, a comissão de três euros com caderneta e 4,95 euros sem caderneta ou cheque, passa em maio para uma comissão única de 4,95 euros (5,15 euros com imposto de selo). No Santander, o custo é de seis euros (6,24 com o imposto).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de