Distribuição

10 anos de cartão Continente. O que pouparam os portugueses? E o que consumiram?

A carregar player...
10 anos de cartão Continente. O que pouparam os portugueses? E o que consumiram?

Há 3,5 milhões de famílias a usar o cartão Continente em mais de 1400 pontos de venda. O que mudou em 10 anos de consumo dos portugueses?

Três mil milhões de euros foi quanto as famílias portuguesas pouparam, em descontos em cartão, ao longo dos últimos dez anos com o cartão de fidelização Continente, garante a insígnia de distribuição do grupo Sonae.

O cartão de fidelização da cadeia de distribuição do grupo Sonae assinala este ano o décimo aniversário, motivo para uma campanha, com criatividade da Fuel, promovendo o cartão usado por 80% das famílias portuguesas nas suas compras.

Em dez anos, o número de utilizadores cresceu mas também os padrões de consumo. “Temos muito mais clientes a usar o cartão, mas também há muito mais lojas (associadas), os clientes também com mais regularidade e menos coisas de cada vez, e optam por lojas mais perto da sua área de residência. O factor proximidade e preço do produto é muito importante”, descreve José Fortunato, administrador de marketing e operações da Sonae MC, em declarações ao Dinheiro Vivo. Talvez por isso, nos últimos anos, a Sonae MC também tem vindo a reforçar a sua oferta ao nível dos formatos de conveniência com as lojas Continente Bom Dia e o Meu Super.

E o que compram também mudou na última década. Na área alimentar “há uma tendência de procura de produtos frescos, de qualidade. Há categorias de produtos como os biológicos que há anos não eram relevantes, mas que agora têm crescimentos significativos”, descreve o responsável. Os produtos Bio”ainda não têm um peso significativo, mas tem tido crescimentos acima do mercado”, diz José Fortunato. Já os produtos frescos (frutos, legumes, peixe), também fruto da cada vez maior preocupação dos portugueses com as questões de saúde, “aí o peso já é significativo”.

Tendência que terá contribuído para que a Sonae MC tenha avançado para a compra de 51% da Go Well, a dona da cadeia Go Natural, tendo aberto o primeiro supermercado biológico, sob esta insígnia, em Lisboa.

Promoções é a nova realidade

Comprar em promoção também passou a fazer parte do dia-a-dia dos portugueses. “O consumidor tem uma relação muito inteligente na forma como se relaciona com as marcas: aproveitas os cupões e a ações promocionais”, diz o administrador de marketing e operações da Sonae MC.

“Os clientes compram cada vez mais em promoção. Há anos as promoções (folhetos, cartão…) representavam 20% das vendas do mercado. Hoje em dia é cerca do dobro. Temos os números mais altos de qualquer indústria, o que demonstra a competitividade do nosso mercado”, refere José Fortunato.

“Os clientes compram cada vez mais em promoção. Há anos as promoções (folhetos, cartão…) representavam 20% das vendas do mercado. Hoje em dia é cerca do dobro. Temos os números mais altos de qualquer indústria, o que demonstra a competitividade do nosso mercado”, diz José Fortunato.

E a insígnia também tem desmaterializado. Ou seja, através da aplicação os consumidores são alertados pelas promoções, as ofertas em cupão… Hoje há mais de 450 mil utilizadores da aplicação.

Em dez anos o grupo estendeu a utilização do Cartão a outras insígnias da Sonae, como a Well’s ou a Go Natural, mas também a parceiros como a Galp (para descontos em combustíveis) ou a Federação Portuguesa de Futebol (na compra de bilhetes para os jogos da Seleção).

“Quisemos suprir outras necessidades dos consumidores”, justifica José Fortunato. Caso do acesso a crédito de consumo: com o cartão Universo. O mesmo tem os mesmos benefícios do cartão Continente, descreve o responsável, mas dá acesso a crédito, não tendo anuidade. “Em pouco mais de um ano há mais de 400 mil clientes de cartão Universo”, adianta José Fortunato.

E também na área de saúde. Se os clientes com cartão já podiam aceder a produtos ou medicamentos sem receita médica na rede de lojas Well’s, desde outubro do ano passado, passaram a ter acesso (a partir de 50 euros mensais de gastos nas lojas Continente/Well’s) a um plano de saúde, em parceria com a AdvanceCare. Uma parceria que o grupo calcula que poderá representar mais de 15 milhões de euros de poupança.

Hoje “há mais de 1400 pontos de venda em que o cartão pode ser usado”, refere José Fortunato. Há dez anos eram apenas 127 pontos de venda. E com os pontos de venda cresceu igualmente o número de utilizadores. De um milhão de clientes com cartão – adesões feitas nos primeiros dez dias – hoje são 3,5 milhões de famílias.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Sede Caixa Geral de Depósitos, em Lisboa

As respostas da CGD sobre o plano de recapitalização

london-eye-778872_1280

Brexit. Empresas portuguesas já têm plano B

José Morgado, CEO do Montepio

Montepio reduz prejuízo para 86,5 milhões e promete lucros em 2017

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
10 anos de cartão Continente. O que pouparam os portugueses? E o que consumiram?