120 trabalhadores a prazo de saída da Autoeuropa

Diminuição de produção de monovolume na fábrica de Palmela justifica não-renovação de contratos a prazo.

Há 120 trabalhadores a prazo que vão sair da Autoeuropa no final de outubro. A administração da fábrica de Palmela não vai integrar estes operários nos quadros, após o final do último vínculo a prazo. A informação foi transmitida pela unidade do grupo Volkswagen em Portugal esta quinta-feira durante uma reunião com o sindicato SITE-Sul, que tinha denunciado a saída destes trabalhadores em 11 de setembro.

A redução da produção do monovolume Volkswagen Sharan é a razão apontada pela administração da fábrica para a dispensa destes funcionários. Apesar de em 2021 a Autoeuropa aumentar o volume de montagem do SUV T-Roc, a unidade de produção liderada por Miguel Sanches alega que o fabrico deste modelo requer menos trabalhadores mesmo que haja mais unidades a serem entregues.

"A administração da Autoeuropa confirmou a intenção de não renovar os contratos a 120 trabalhadores", indicou ao Dinheiro Vivo o dirigente do SITE-Sul, Eduardo Florindo. Fonte oficial da empresa não respondeu ao contacto efetuado pelo Dinheiro Vivo para obter mais esclarecimentos.

Em 2021, a Autoeuropa vai diminuir o volume de montagem do monovolume Sharan, sobretudo na versão com motor a gasóleo, que tem cada vez menos procura no mercado intenracional.

Além de contestar a decisão, o sindicato defende que os 120 trabalhadores poderiam ser integrados noutras áreas da fábrica, "para subsituir outros operários com doenças prolongadas e que se encontram de baixa".

Eduardo Florindo alerta ainda que há mais trabalhadores a prazo que estão em risco de sair da fábrica no final de novembro. O futuro destes operários "depende da evolução da pandemia nas próximas semanas, sobretudo em países como Espanha, França, Itália e Alemanha", os principais mercados exportadores da Autoeuropa.

A denúncia da não renovação de contratos a prazo foi noticiada pelo Jornal Económico no dia 11 de setembro.

Com 5600 operários, a Autoeuropa produziu 108 934 carros na Autoeuropa até agosto, menos 35,3% do que no mesmo período de 2019. Por causa do novo coronavírus, depois de ter declarado dias de não produção entre meados de março e de abril, a linha de montagem funcionou com apenas dois turnos nos dias úteis. Entre junho e agosto, a Autoeuropa contou com três turnos de laboração nos dias úteis.

Desde 24 de agosto que a fábrica de Palmela está no máximo de capacidade de produção: 890 unidades por dia de segunda a sexta e ainda 620 carros ao sábado e ao domingo. Prevê-se o fabrico de 193 mil unidades em 2020.

(Notícia atualizada às 18h09 com mais informação)

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de