Leilões de arte

Obra de Banksy auto destrói-se após ser comprada por 1,1 milhões

O artista britânico Banksy tem obras espalhadas por vários países. Fotografia: D.R.
O artista britânico Banksy tem obras espalhadas por vários países. Fotografia: D.R.

A obra desfez-se em tiras ao passar por uma trituradora de papel instalada na parte inferior do quadro

Uma obra do artista Banksy, cuja verdadeira identidade se desconhece, destruiu-se depois de ser vendida por 1,04 milhões de libras (ou 1,18 milhões de euros) na leiloeira londrina Sotheby’s.

O próprio autor divulgou, ontem, uma fotografia na rede social Instagram no momento em que o quadro Girl with balloon (Rapariga com balão, na tradução livre) se desfaz em tiras ao passar por uma trituradora de papel instalada na parte inferior do quadro.

“Vai, vai, foi-se”, escreve Banksy sobre a imagem, numa alusão às palavras pronunciadas pelos leiloeiros quando concluem a venda a um cliente.

“Parece que acabámos de ser ´Banksy-tados”, admitiu o diretor de arte contemporânea da Sotheby´s, Alex Branczik, após a licitação da obra, de acordo com o que se ouve nos vídeos colocados nas redes sociais, nos quais é também visível a surpresa com que reagiu o público.

Datada de 2006, a obra, leiloada ontem à noite, que mostra uma rapariga a tentar alcançar um balão em forma de coração, era uma versão em tela de um desenho que surgiu a primeira vez como grafite numa rua no leste de Londres e que, em 2017, foi eleita a obra favorita da nação.

Originário da cidade de Bristol, Banksy ficou conhecido pelos seus grafitis subversivos que têm surgido um pouco por todo o mundo, de Londres à Palestina, o que fez dele um artista cotado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Greve de motoristas de matérias perigosas parou o país, em abril. 
(MÁRIO CRUZ/LUSA

Nova greve dos camionistas dia 12. Pré-aviso já foi entregue

Assunção Cristas e Bruno Bobone, na sede da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, nos Restauradores
(ANTÓNIO COTRIM/LUSA)

Cristas apela a empresários para darem mais força à oposição

Assunção Cristas e Bruno Bobone, na sede da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, nos Restauradores
(ANTÓNIO COTRIM/LUSA)

Cristas apela a empresários para darem mais força à oposição

Outros conteúdos GMG
Obra de Banksy auto destrói-se após ser comprada por 1,1 milhões