fazedores

Matchmaking. EDP vira “casamenteira” e junta startups e investidores

Foto de família no evento Energy Startups Matchmaking, que teve lugar na sede da EDP, em Lisboa, com destaque, à frente, para Jean-David Malo, diretor de inovação da Comissão Europeia, e António Vidigal, chairman da EDP Inovação. FOTO: Direitos Reservados
Foto de família no evento Energy Startups Matchmaking, que teve lugar na sede da EDP, em Lisboa, com destaque, à frente, para Jean-David Malo, diretor de inovação da Comissão Europeia, e António Vidigal, chairman da EDP Inovação. FOTO: Direitos Reservados

A EDP tem 72 milhões para investir em startups. Quem o garante é António Mexia, que nesta semana ouviu 29 ideias e promete negócios para breve.

Esteve longe de ser uma espécie de “casados à primeira vista”, mas a verdade é que o evento Energy Startups Matchmaking, que decorreu nesta semana em Lisboa, na sede da EDP, com a bênção da Comissão Europeia, serviu para juntar, cara a cara, pela primeira vez 29 startups de 14 países (apoiadas pelo SME Instrument da UE) com gigantes tecnológicas como a Microsoft, a Siemens, a Cisco e outras empresas de energia: ESB (energética irlandesa), Eneco (energia verde), Encevo (redes de eletricidade e gás no Luxemburgo), Innogy (energética presente em 16 países da Europa) e CEZ (conglomerado de energia).

Parte interessada no evento, com oito equipas (20 especialistas de Portugal e Espanha) e reuniões marcadas com todas as startups presentes (duas delas portuguesas), a EDP foi a escolhida pela Comissão Europeia como anfitriã e “casamenteira” de serviço, permitindo que num só dia centenas de pessoas se juntassem debaixo do mesmo teto para trocar contactos e até, quem sabe, fechar negócios.

Apesar da queda de lucros de 53% em 2018, com prejuízos de 18 milhões em Portugal pela primeira vez em 20 anos, o CEO, António Mexia, marcou presença e garante que a EDP mantém capacidade e interesse em investir em inovação e startups. “É a isto que se chama inovação aberta. Estamos a gerir mais de 70 milhões de euros em três fundos de investimento para estas startups.” Quanto ao valor a investir no matchmaking day, “depende”, diz Mexia. “Temos 72 milhões de euros de venture capital para investir em startups. Os objetivos estão definidos e tudo depende da capacidade de estas empresas nos entusiasmarem.”

António Vidigal, chairman da EDP Inovação, confirmou que a empresa já aplicou 34 milhões em 30 novas empresas. Por ano, a EDP investe 70 milhões de euros em inovação, investigação e desenvolvimento em todas as geografias, explicou Luís Manuel, administrador da EDP Inovação. Em 2017, as participações de equity da EDP noutras empresas rondaram os seis milhões de euros, valor que deverá disparar para dez milhões em 2018. “Temos um conjunto de novos veículos de investimento ativos no Brasil e em Portugal”, disse.

Quanto ao evento, muito a fazer lembrar o speed dating (pitches de manhã e reuniões one-to-one de tarde), “é apenas uma oportunidade para falarmos cara a cara e em 20 minutos tiramos dúvidas. Nada acaba aqui. Isto é o começo”, diz Luís Manuel. No total, realizaram-se 80 reuniões de conhecimento dos projetos, 50% das quais com a EDP.

“Foram vários os negócios compatíveis com áreas estratégicas para a empresa: soluções para o armazenamento energético, mobilidade elétrica a inspeção de ativos com drones”, mas é “prematuro avançar com investimentos”. No entanto, o Dinheiro Vivo sabe que as equipas da EDP ficaram bem impressionadas com vários projetos e que há condições para fazer negócios já nas próximas semanas .

Marco Ferreira, CEO da Enging, que recebeu um milhão de euros de investimento da EDP Ventures, aproveitou para estar com várias empresas de energia. “Estamos à procura de clientes finais, em aceleração do negócio e o nosso foco no mercado são as utilities.” Já em Espanha, Brasil, Itália e Reino Unido, a startup de software de manutenção preditiva de máquinas elétricas aposta agora na Alemanha, na Suíça, na Áustria e na Índia. “Ficaram pendentes novos encontros para voltarmos a falar.”

Já Miguel Aires, CEO da Livedrive, que se dedica a tecnologia para ligar os condutores à internet, recolhendo dados online para estudar a área comportamental da condução, chegou ao evento à procura de financiadores para 60% do projeto. “O negócio ainda está por chegar”, diz o fundador. Em 2018, ganharam o selo de excelência no Horizonte 2020, que dá direito a 40% de financiamento a fundo perdido. Do matchmaking na sede da EDP destaca a reunião com a Cisco, que ficou muito interessada e prometeu novas conversas.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Greve de motoristas de matérias perigosas parou o país, em abril. 
(MÁRIO CRUZ/LUSA

Nova greve dos camionistas dia 12. Pré-aviso já foi entregue

Assunção Cristas e Bruno Bobone, na sede da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, nos Restauradores
(ANTÓNIO COTRIM/LUSA)

Cristas apela a empresários para darem mais força à oposição

Assunção Cristas e Bruno Bobone, na sede da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, nos Restauradores
(ANTÓNIO COTRIM/LUSA)

Cristas apela a empresários para darem mais força à oposição

Outros conteúdos GMG
Matchmaking. EDP vira “casamenteira” e junta startups e investidores