fintech

Revolut mais que triplica transações em Portugal

Vlad Yatsenko e  Nik Storonsky, co-fundadores da Revolut. Foto: D.R.
Vlad Yatsenko e Nik Storonsky, co-fundadores da Revolut. Foto: D.R.

Os clientes nacionais gastaram cerca de sete milhões em restaurantes, quase quatro milhões em supermercado e quase dois milhões com entretenimento.

Os portugueses gastaram na época do Natal cerca de 38 milhões de euros com os seus cartões Revolut, mais que triplicando os gastos feitos no mesmo período do ano anterior.

Em gastos, superaram os italianos que despenderam 36,6 milhões, mas ficaram atrás dos espanhóis, que registaram um volume de transações superior a 57 milhões, entre 1 de dezembro e 2 de janeiro.

Segundo dados da Revolut, que tem mais de 400 mil utilizadores em Portugal, quase 8% dos utilizadores portugueses da aplicação financeira visitaram dois ou mais países na época das festas de fim de ano.

Mais de 30 mil visitaram vários países neste período, adianta em comunicado, sendo que maioritariamente viajaram para o Reino Unido (11 714), Espanha (6 416) e Estados Unidos (4 989) durante o mês de dezembro de 2019.

Os cartões Revolut foram utilizados essencialmente em aplicações de transporte ligeiro de passageiros, como Uber, Bolt ou Kapten, despendendo mais de 500 mil euros neste período.

O Aliexpress, do gigante chinês Alibaba Group, foi outro dos retalhistas de eleição para os clientes portugueses, que ali gastaram quase 120 mil euros neste período.

Em termos de categorias de gastos, os portugueses fizeram compras no valor de mais de nove milhões de euros. No mês do Natal, gastaram cerca de sete milhões em restaurantes, quase quatro milhões em compras de supermercado e quase dois milhões com entretenimento.

A maioria das transações foram realizadas em terminais físicos (71%) e apenas 21% online. Os restantes 8% destinaram-se a outro tipo de transações financeiras.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Arquivo/ Global Imagens

Transações de casas caíram 35,25% em abril. Preços começam a abrandar

(João Silva/ Global Imagens)

Estrangeiros compraram menos casas em Portugal em 2019. Preço por imóvel subiu

dgs covid portugal coronavirus

Mais cinco mortos e 463 infetados por covid-19 em Portugal

Revolut mais que triplica transações em Portugal