Distribuição

Grupo Sonae investe no retalho em Moçambique

Paulo Azevedo, CEO da Sonae Indústria. Foto:  Pedro Granadeiro / Global Imagens
Paulo Azevedo, CEO da Sonae Indústria. Foto: Pedro Granadeiro / Global Imagens

Depois do vestuário, é a vez dos supermercados: cadeia Extra tem 25 lojas no país

O grupo Sonae ter-se-á associado à Satya Capital, fundo privado liderado por Mo Ibrahim, o empresário britânico-sudanês das telecomunicações, para a compra da cadeia de supermercados moçambicanos Extra.

A notícia foi avançada pelo jornal digital Zitamar News, que dá conta de que o negócio será feito através da S2 Africa, empresa criada em maio de 2014 pela Satya Capital em parceria com a Sonae. Em causa está uma rede de supermercados – 25 segundo as últimas informações disponíveis, referentes a maio de 2015, dos quais 15 na capital, Maputo – que começou por pertencer ao grupo sul-africano Pick n’ Pay.

A incapacidade de tornar o negócio lucrativo foi a justificação dada pela empresa sul-africana, em 2013, para vender a cadeia de retalho alimentar e sair do mercado. A rede Extra foi então comprada pela ADC, parceria da Africom Limitada, grupo retalhista local, com a Delta Trading & Companhia.

“A ADC tem lutado para tornar a cadeia rentável, sobretudo dada a queda significativa no valor do metical contra a maioria das moedas do mundo no ano passado, e a empresa fez uma série de despedimentos no final de 2015”, avança o Zitamar.

O jornal digital garante ainda que a venda da cadeia à Satya Capital e à Sonae foi já comunicada aos trabalhadores dos supermercados Extra, sublinhando que “a transferência para a S2 Africa está prevista ocorrer no final desta semana”.

O Zitamar lembra também que, desde maio de 2015, Tsega Gebreyes, fundadora e sócia-gerente da Satya Capital, integra a administração do grupo Sonae, presidido por Paulo Azevedo. Até à hora de fecho desta edição, não foi possível obter qualquer comentário das partes envolvidas no eventual negócio.

A notícia da eventual entrada da Sonae no retalho alimentar moçambicano não esquece o desaire do grupo em Angola, onde a parceria com Isabel dos Santos não correu bem. O interesse da Sonae em Moçambique foi assumido em 2012. Dois anos depois, o grupo anunciou a abertura da primeira loja MO (ex-Modalfa) em regime de franchising. E em dezembro de 2015 abriu o primeiro espaço Zippy (vestuário de criança), também em franchising. Só falta mesmo o retalho alimentar.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Carlos Costa, Governador do Banco de Portugal

BES: Processos contra Banco de Portugal caem para metade

O primeiro-ministro, António Costa, gesticula durante o debate quinzenal na Assembleia da República, em Lisboa, 19 de março de 2019. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

António Costa: “Portugal vai continuar a crescer acima da média europeia”

( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

Federação de Futebol põe fim a contestado memorando com RTP

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Grupo Sonae investe no retalho em Moçambique