5G. Regras de leilão são "ilegais" e "desastrosas" para o país, diz a NOS

Operadora liderada por Miguel Almeida considera que regras do leilão do 5G comprometem irremediavelmente a concorrência no sector.

"Ilegais, inaceitáveis e desastrosas para o setor e para o país" é o que pensa a NOS sobre as regras do leilão do 5G que deveria arrancar este mês. A Vodafone já disse que a manter-se as atuais regras poderá não ir ao concurso.

"As regras do leilão, tal como as conhecemos, são absolutamente ilegais, inaceitáveis e desastrosas para o setor e para o País. Este regulamento compromete irremediavelmente a concorrência e o investimento no setor, e, consequentemente, a desejada transição digital das empresas, do setor público e da população, bem como a coesão territorial e social", reagiu fonte oficial da NOS, em declaração enviada ao Dinheiro Vivo.

"Se as regras não forem alteradas estaremos a condenar Portugal à irrelevância na futura economia digital, prejudicando, assim, de forma irreversível a competitividade das empresas e a evolução do nível de vida dos portugueses", diz a fonte oficial da operadora liderada por Miguel Almeida.

A NOS junta-se assim à Vodafone na crítica aos contornos do leilão do 5G, que deveria arrancar este mês. Esta quinta-feira o CEO da Vodafone Europa, Serpil Timuray, teceu fortes críticas ao leilão e ao regulador, considerando que o leilão tem regras ilegais e que é discriminatório para os operadores que já estão no mercado. E deixou um aviso.

"Há uma discriminação significativa e injustificada contra os operadores de longa data, como a Vodafone, e somos obrigados a reconsiderar todas as nossas opções em Portugal, incluindo licitar por menos espectro ou não licitar, se o leilão for tão defeituoso", disse Serpil Timuray, citado pela agência noticiosa.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de