Ferrovia

75 milhões para melhorar e renovar linhas de comboio

Os trabalhadores da IP estão em greve. Fotografia: Global Imagens
Os trabalhadores da IP estão em greve. Fotografia: Global Imagens

Relatório interno aponta falhas graves da rede ferroviária. IP garante que a rede "é segura" e com um "desempenho globalmente positivo"

Os caminhos-de-ferro portugueses estão em mau estado, mas a Infraestruturas de Portugal garante que a rede “é segura” e com um “desempenho globalmente positivo”. A empresa pública compromete-se, ainda assim, a investir 75 milhões de euros este ano para manutenção e renovação.

Além disso, “nos casos em que se justifique, e até à execução dos investimentos previstos, a empresa implementa medidas mitigadoras, quer ao nível da manutenção, quer ao nível da adequação das condições de exploração, salvaguardando a segurança da circulação”, acrescenta a entidade, numa nota em reação à notícia avançada pelo jornal Público, que cita um relatório interno, que aponta um desempenho “medíocre ou mau” de 60% da linha.

A entidade assume que analisa anualmente 9 parâmetros na linha de comboios e que no global o relatório de 2016 aponta para um estado de condição “razoável” com uma avaliação de 5,3 em oito. Por isso, “adequada aos requisitos de exploração”.

Garante, ainda assim, que o nível da infraestrutura está a ser melhorado através do plano Ferrovia 2020 cujos empreendimentos superam os 2 mil milhões de euros. Este plano é comparticipado por fundos comunitários e contempla a requalificação de mais de 1000 quilómetros de via-férrea. “Todas as situações identificadas no relatório são alvo de intervenção no âmbito do Ferrovia 2020”, acrescenta ainda a IP.

No ano passado, a empresa reporta investimentos de 34 milhões de euros na conservação e manutenção da linha férrea e outros 48 milhões de euros em 2017. Este ano o valor praticamente duplica.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
REUTERS/Rafael Marchante

Centeno diz que Estado poupa 100 milhões com pagamento antecipado ao FMI

Theresa May, primeira-ministra britânica, fala no parlamento britânico. 10 de dezembro de 2018. REUTERS

Brexit: May admite que risco de sair sem acordo está a aumentar

REUTERS/Eloy Alonso

CTG substitui membros do Conselho de Supervisão na EDP

Outros conteúdos GMG
75 milhões para melhorar e renovar linhas de comboio