digital

Depois da roupa e do calçado, Ronaldo compra empresa digital

Fotografia: EPA/GEORGI LICOVSKI
Fotografia: EPA/GEORGI LICOVSKI

Jogador português "adquiriu uma posição maioritária" na Thing Pink, empresa fundada em 2007

A nova aposta de Cristiano Ronaldo é a tecnologia. O melhor jogador do mundo tornou-se no maior investidor da Thing Pink, uma empresa com escritórios no Porto e em Lisboa e que é responsável pela parte tecnológica e digital do museu do jogador português, no Funchal. O investimento foi avançado esta sexta-feira pelo jornal digital Eco e foi confirmado por fonte oficial do jogador ao Dinheiro Vivo.

Com esta operação, a Thing Pink deverá transformar-se na marca 7egend. Fonte oficial do jogador justifica a aposta de Cristiano Ronaldo “num sector cada vez mais presente no quotidiano das pessoas e pelo qual ele tem grande interesse”.

O jogador português “adquiriu uma posição maioritária” na empresa fundada em 2007 e que foi escolhida “pela qualidade, criatividade e dinamismo do trabalho e dos profissionais da empresa”.

A Thing Pink, liderada por Luís Parafita, desenvolve experiências digitais e trabalha para vários tipos de dispositivos, como o mobile, os wearables, e a web. Nos últimos 10 anos, trabalhou para marcas como McDonald’s, Fnac, H3, FC Porto, Vitaminas, NOS e Tradiio.

Há quase cinco anos, em dezembro de 2012, Cristiano Ronaldo estreou-se nos investimentos tecnológicos, ao apostar na Mobitto, uma aplicação móvel que permitia recomendar locais de preferência como empresas ou lojas, e que dá acesso a descontos e promoções – que podem ser prémios – através das recomendações dadas pelos utilizadores. A empresa fundada por Diogo Teles e José Simões acabaria por fechar em janeiro de 2014.

Cristiano Ronaldo tem apostado nos últimos anos em vários tipos de investimento. Exemplo disso são a marca de calçado CR7 Footwear (lançada em 2014), a marca de roupa interior CR7 Underwear e a parceria com o grupo Pestana, em que quatro hotéis têm o selo CR7.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
TimVieira_1-1024x683

“Fui quem mais investiu e mais perdeu no Shark Tank. E também quem ganhou mais”

João Lourenço, Presidente de Angola. Fotografia: ESTELA SILVA/LUSA

Dívida externa angolana financiou “enriquecimento ilícito de uma elite”

Lisboa, 12/06/2019 - Mariana Vieira da Silva, ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, fotografada esta tarde nos estúdios da TSF, durante uma entrevista 'A Vida do Dinheiro'  TSF/Dinheiro Vivo.
( Gustavo Bom / Global Imagens )

Mariana Vieira da Silva: Repetir a geringonça “é possível e desejável”

Outros conteúdos GMG
Depois da roupa e do calçado, Ronaldo compra empresa digital