800 agrupamentos escolares tentam atrair mulheres para tecnologia

Comunidade Portuguese Women in Tech quer reduzir desigualdade de género ao longo dos próximos 10 anos. Programa Future PWIT chega a alunos do segundo e terceiro ciclos, além do ensino secundário.

800 agrupamentos escolares vão tentar atrair mulheres para a área tecnológica. O Future PWIT é um programa de combate à desigualdade de género ao longo dos próximos 10 anos foi apresentado nesta terça-feira e envolve estabelecimentos de ensino do segundo e terceiro ciclos, assim como do ensino secundário.

A iniciativa é promovida pela comunidade Portuguese Women in Tech e conta com a parceria da empresa de distribuição de eletricidade E-Redes.

Os professores e orientares poderão inspirar os alunos em sala de aula através, por exemplo, de exercícios práticos e a visualização de entrevistas a mulheres com diferentes perfis e experiências que têm tido um percurso notável na área em Portugal.

Liliana Ferreira, Diretora Geral da Fraunhofer Portugal; Verónica Orvalho, Fundadora e CEO da MyDidimo; Anabela Ferreira, Senior Agile Business Analyst na Natixis; e Margarida Henriques, Business Unit Director na E-REDES, são apenas alguns dos nomes que participam nesta iniciativa.

"Com a Future PWIT, pretendemos inspirar jovens por todo o país com ferramentas diversas e histórias de quem escolheu a tecnologia como carreira. Se esta iniciativa fizer com que um número significativo de alunas e alunos equacionem esta área para o seu futuro laboral, o nosso objetivo estará, em parte, cumprido", sublinha Inês Santos Silva, cofundadora da comunidade Portuguese Women in Tech.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de