Gestão e RH

Job Summit vai juntar empresas e candidatos em tempo real

artigo

Feira virtual de emprego quer ligar profissionais e recrutadores pela internet e acabar com a falta de feedback às candidaturas.

A Job Summit será a primeira feira virtual de emprego no país a ligar, em tempo real, recrutadores e candidatos pela internet durante dois dias. Entre 10 e 11 de outubro, milhares de candidatos vão poder interagir com os representantes de empresas dos mais diversos setores pelas vias do texto, áudio ou vídeo.

Até agora estão inscritos quase três mil candidatos, mas a organização do evento, a cargo do site Alerta Emprego (onde são divulgadas ofertas e vagas de trabalho), diz que estão a ser feitas, em média, “200 novas inscrições por dia”.

Já do lado empresarial está garantida a presença de pelo menos 35 empresas, sendo que as previsões da organização apontam para um total de 50. Entre as entidades já confirmadas estão, por exemplo, o Grupo Tivoli, Holmes Place, Flying Tiger, Norauto, Egor, Grupo Manpower, MEO, Vodafone, Altitude Software, entre outras.

O principal objetivo da Job Summit é acabar com um dos maiores flagelos do mercado de trabalho: a falta de feedback. Segundo dados do Alerta Emprego, 42% dos portugueses apontam esta falha como a principal frustração durante os processos de recrutamento. E esta é uma iniciativa que quer servir ambos os lados.

A grande vantagem é o facto de, pela primeira vez, num espaço online, os recrutadores estarem disponíveis para dar a cara, esclarecer questões e interagir em tempo real. Os candidatos têm a oportunidade de tirar dúvidas sobre as empresas e ofertas de emprego e também de demonstrar o seu valor. As empresas têm a possibilidade de avançar para além do primeiro passo de candidatura e acelerar os processos”, explica ao Dinheiro Vivo o CEO do Alerta Emprego, Miguel Costa.

Às vantagens da comodidade e rapidez, acresce ainda a inexistência de “restrições geográficas” e também “a escalabilidade que o digital permite, como ter várias conversas em simultâneo”. Além disso, “poderá haver conversas em espaços públicos, salas de chat onde serão respondidas a maioria das questões, e conversas a sós através de texto, áudio ou vídeo”, adianta Miguel Costa.

Outro dos fatores que o organizador escolhe destacar é a utilidade que o Job Summit traz às empresas, visto que “todas as áreas podem ganhar com o recrutamento online”. O mesmo se aplica a quem não tem preferências profissionais e que poderá vir a descobrir o seu lugar no mercado de trabalho.

“Haverá muita informação que permitirá aos candidatos conhecer as empresas e respetivas culturas de trabalho – através de vídeos e conteúdos diversos – e ainda apresentações com informação e dicas úteis para quem procura emprego”, descreve.

Estar preparado

Aos interessados, e para que não se percam oportunidades, Miguel Costa aconselha a “fazer o trabalho de casa, analisar as informações das empresas e pensar antes de iniciar as conversações”, tal como “pensar se têm aquilo que a empresa procura”. O objetivo é que façam “perguntas pertinentes e se posicionem como profissionais que sabem respeitar o tempo de quem está do outro lado”, remata.

As expectativas de Miguel Costa são altas e o sucesso (ou falta dele) desta primeira edição da Job Summit será fator determinante para se realizarem ou não mais edições no futuro.

As atualizações sobre o evento podem ser consultadas em jobsummit.pt.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: REUTERS/Brendan McDermid

Principais bancos em Portugal vão continuar a reduzir exposição ao imobiliário

Fotografia: REUTERS/Brendan McDermid

Principais bancos em Portugal vão continuar a reduzir exposição ao imobiliário

SaudiAramco

Petrolífera Aramco consegue maior entrada em bolsa da história

Outros conteúdos GMG
Job Summit vai juntar empresas e candidatos em tempo real