brinquedos

A LEGO quer ser mais ecológica. Vai investir mais de 337 milhões de euros

Foto: João Manuel Ribeiro/Global Imagens
Foto: João Manuel Ribeiro/Global Imagens

Sacos de plástico que vão dentro das caixas a envolver as peças serão substituídos por opções mais sustentáveis. As crianças pediram.

O Grupo LEGO vai investir 400 milhões de dólares (mais de 337 milhões de euros) ao longo de três anos para acelerar as suas iniciativas de sustentabilidade e responsabilidade social. Os sacos de plástico de uma só utilização que vão dentro das caixas a envolver as peças vão ser substituídos por opções mais sustentáveis. Até final 2025 querem tornar todo o packaging da marca sustentável. As crianças pediram.

“Recebemos várias cartas de crianças sobre o meio ambiente e a pedirem-nos para substituir os plásticos de uma só utilização. Temos vindo a trabalhar em alternativas há já algum tempo e a paixão e ideias das crianças foram um grande incentivo para acelerarmos a mudança”, diz Niels B. Christiansen, CEO do Grupo LEGO, citado em nota de imprensa.

“Não podemos perder de vista os desafios decisivos que as gerações futuras terão de enfrentar. É urgente tomarmos medidas agora para cuidar do planeta para as gerações futuras. Como empresa que olha para as crianças como exemplos a seguir, inspira-nos ver os milhões de crianças que pedem que sejam tomadas medidas para combater as mudanças climáticas. Acreditamos que devem ter acesso a oportunidades para desenvolver as capacidades necessárias para criar um futuro sustentável. Vamos redobrar os nossos esforços, para usar os recursos, contactos, experiência e plataformas para ter um impacto positivo”, diz o CEO do Grupo LEGO.

A partir de 2021, sacos de papel certificados pelo Forest Stewardship Council vão começar a ser testados nas caixas, substituindo os sacos de plástico de uma só utilização que vão dentro das caixas a envolver as peças. Até ao final de 2025 querem tornar todo o packaging da marca de brinquedos sustentável.

O Grupo LEGO conta com mais de 150 especialistas, para criar produtos e packaging sustentáveis. Em 2015, o Grupo definiu a meta de até 2030 todos os seus produtos serem feitos de materiais sustentáveis. Vai expandir o seu uso de bio-tijolos, como os feitos de cana-de-açúcar, que atualmente representam 2% do portefólio.

A companhia vai ainda avançar com programas para encorajar a doação de peças LEGO para as crianças que precisam de brincar. O LEGO Replay, que foi testado com sucesso nos Estados Unidos em 2019, e já fez doação de peças a mais de 23 mil crianças neste mercados, vai ser posto em prática em dois novos países até ao fim de 2022.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Arquivo/ Global Imagens

Transações de casas caíram 35,25% em abril. Preços começam a abrandar

(João Silva/ Global Imagens)

Estrangeiros compraram menos casas em Portugal em 2019. Preço por imóvel subiu

dgs covid portugal coronavirus

Mais cinco mortos e 463 infetados por covid-19 em Portugal

A LEGO quer ser mais ecológica. Vai investir mais de 337 milhões de euros