A última reinvindicação na Carris: Trabalhadores querem 12 euros para cortar cabelo

Gestãos dos transportes em discussão
Gestãos dos transportes em discussão

Os trabalhadores da Carris querem receber um subsídio mensal de 12 euros para cortar o cabelo.

A proposta vai estar em discussão entre os representantes sindicais e a administração da transportadora como forma de compensação do fim da rede de barbearias da Carris.

“Esta matéria, e outras, serão discutidas serão discutidas em sede de negociação colectiva com as Organizações Representativas dos Trabalhadores”, disse fonte da administração da Carris citada pelo Diário Económico.

O fim da rede de barbearias da Carris chegou ao Parlamento através de um requerimento apresentado pelo PCP a 24 de maio, alertando para alegados atropelos ao contrato coletivo de trabalho. “Há anos que a claúsula 69 [respeitante aos serviços de barbearia] deixou de ser respeitada, tendo a empresa procedido ao encerramento das barbearias”, alertava o PCP, acusando ainda a administração da empresa, entre outras irregularidades, de não cumprir com o horário semanal de trabalho de 40 horas e ao pagamento do trabalho suplementar.

Fonte da administração da Carris não adiantou os custos associados à manutenção da rede de barbearias – “não é possível apurar com exactidão os custos anuais associados a este serviço” – mas até dezembro de 2007 a empresa “teve barbeiros no seu quadro de pessoal”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Combustíveis

Encher o depósito para ir de férias fica mais barato: combustíveis descem preços

Combustíveis

Encher o depósito para ir de férias fica mais barato: combustíveis descem preços

Foto: Paulo Spranger

Contadores inteligentes acabam com estimativas na conta da luz

Outros conteúdos GMG
A última reinvindicação na Carris: Trabalhadores querem 12 euros para cortar cabelo