Galp

Acionistas da Galp aprovam distribuição de dividendo de 55 cêntimos por ação

Fotografia: Filipe Amorim / Global Imagens
Fotografia: Filipe Amorim / Global Imagens

A aprovação ajusta assim a retribuição aos acionistas em função das perspetivas financeiras.

Os acionistas da Galp Energia aprovaram esta terça-feira em assembleia-geral anual um aumento do dividendo em 10%, para 55 cêntimos por ação, ajustando assim a retribuição aos acionistas em função das perspetivas financeiras.

Em comunicado ao mercado, a Galp Energia informou que os acionistas da petrolífera liderada por Carlos Gomes da Silva aprovaram as contas relativas a 2017 e a proposta de aplicação dos resultados do exercício de 2017.

Foram também aprovados votos de apreço e confiança no Conselho de Administração, no Conselho Fiscal e no Revisor Oficial de Contas da Sociedade pela forma como fiscalizou a Sociedade no exercício de 2017.

No comunicado enviado ao mercado em fevereiro, a Galp Energia explica que o valor do dividendo “constituirá a referência para os próximos anos”, ficando a sua evolução “dependente da geração de caixa e da identificação de oportunidades criadoras de valor, mantendo o compromisso de disciplina financeira, traduzido num rácio de dívida sobre EBITDA inferior a 2x”.

No exercício de 2016, a Galp pagou um dividendo de 50 cêntimos por ação, referindo então que este valor se deveria manter inalterado nos exercícios seguintes, mas a melhoria das perspetivas financeiras para 2018 levou a empresa liderada por Carlos Gomes da Silva a rever o montante relativo a 2017.

A Galp Energia fechou 2017 com um resultado líquido ajustado de 602 milhões de euros, um aumento de 25% face aos 483 milhões alcançados no período homólogo de 2016, impulsionado pelo “aumento da produção de petróleo e de gás natural no Brasil, aliado à boa performance das atividades de ‘downstream’ [distribuição e comercialização] nos principais mercados em que a Galp atua”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(REUTERS/Kevin Coombs)

Brexit. Europa avalia nova data para o divórcio: 31 de janeiro de 2020

(REUTERS/Kevin Coombs)

Brexit. Europa avalia nova data para o divórcio: 31 de janeiro de 2020

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República portuguesa. Foto: REUTERS/Benoit Tessier

Marcelo pede mais crescimento. “Este que temos não chega”

Outros conteúdos GMG
Acionistas da Galp aprovam distribuição de dividendo de 55 cêntimos por ação