CMVM

Acionistas da Toyota Caetano aprovam saída de bolsa

testemunho_caetano-auto

Os acionistas da Toyota Caetano aprovaram esta sexta-feira, por unanimidade, a saída da empresa de bolsa, em assembleia-geral extraordinária com este único ponto em agenda, segundo comunicado ao mercado.

Na reunião magna que decorreu em Oliveira do Douro, Vila Nova de Gaia, esteve representado 95,6236% do capital social.

A informação à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) refere que, após a decisão de perda da qualidade de sociedade aberta, a Salvador Caetano Portugal (maior acionista da Toyota Caetano) tem obrigatoriamente de comprar as ações aos acionistas que não votaram a favor.

O valor a oferecer é de 2,80 euros por ação, considerando que é “o preço médio ponderado destes valores mobiliários apurado em mercado regulamentado nos seis meses imediatamente anteriores à data da publicação do anúncio preliminar da oferta”.

Contudo, caso acionistas não estejam de acordo, o valor pode vir a ser decidido por um auditor independente.

A Toyota Caetano comercializa veículos da marca japonesa Toyota e produz automóveis na fábrica de Ovar, distrito de Aveiro.

Aquando da convocação desta assembleia-geral, foi divulgada num documento disponível no ‘site’ da empresa a explicação para a saída de bolsa, referindo-se que “o mercado bolsista não constitui já um mecanismo de financiamento dos capitais próprios”, pelo que “a perda da qualidade de sociedade aberta pela Toyota Caetano Portugal não afeta o normal desenvolvimento da sua atividade”.

A Toyota Caetano é detida maioritariamente pela Salvador Caetano (68%), tendo a Toyota Motor Europe 27% do capital social

Assim, apenas 5% do capital da Toyota Caetano está em ‘free float’, ou seja, em mãos de acionistas minoritários.

As ações da Toyota Caetano, cotadas na bolsa de Lisboa no índice geral (PSI Geral), subiram hoje 2,78% para 2,80 euros.

A bolsa de Lisboa tem vindo a perder cada vez mais cotadas nos últimos anos.

Este ano já saiu de bolsa a SAG Gest – Soluções Automóveis Globais e deverá concretizar-se a saída da Compta – Equipamentos e Serviços de Informática.

Já em dezembro passado tinha sido aprovada a saída de bolsa do banco BPI.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, João Leão (D), durante o debate e votação da proposta do orçamento suplementar para 2020, na Assembleia da República, em Lisboa, 17 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Bruxelas agrava projeção de contração em Portugal para 9,8%

Comissão Europeia, Bruxelas (REUTERS)

Bruxelas revê estimativas. Economia da zona euro deverá recuar 8,7% em 2020

Mário Centeno


TIAGO PETINGA/LUSA

Centeno defende repensar das regras da dívida e do défice na UE

Acionistas da Toyota Caetano aprovam saída de bolsa