portos

Acordo entre Sindicato XXI e PSA/Laborsines põe fim a conflito laboral

Porto de Sines.
( Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens )
Porto de Sines. ( Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens )

Acordo prevê aumento salarial médio de 7% mais inflação e a manutenção de 20 colaboradores cujo contrato não ia ser renovado.

O Sindicato XXI e a empresa PSA/Laborsines acordaram as novas tabelas salariais e progressão na carreira dos operadores portuários e técnicos de engenharia no Terminal de Contentores do Porto de Sines, foi anunciado esta terça-feira.

O acordo entre a empresa concessionária do Terminal XXI, no Porto de Sines (Setúbal) e o sindicato que representa os trabalhadores administrativos, técnicos e operadores pôs fim a um conflito laboral que conduziu a várias paralisações, a última iniciada no dia 12 deste mês e suspensa dias depois para permitir as negociações.

A greve, às últimas três horas de cada turno, foi o último recurso do sindicato que recusava assinar “o aumento automático de 7% ao ano”, enquanto a empresa PSA Sines “exigisse uma série de regras e de alterações, caso aplicasse as novas tabelas salariais”.

A “conclusão do processo negocial para a implementação de um acordo que contempla novas tabelas salariais e de progressão de carreira para operadores portuários e técnicos de engenharia” foi anunciada hoje num comunicado conjunto da empresa PSA/Laborsines e do Sindicato XXI.

Além de “abranger cerca de 90% dos colaboradores” do Terminal de Contentores, o acordo resulta da “preocupação extrema de ambas as partes em obter compromissos que permitam que o Terminal XXI [contentores] cresça de modo sustentável”, referem no documento.

“Conseguimos atingir um ponto de equilíbrio considerado vantajoso para todos”, indicam as duas estruturas, fazendo referência a um “incremento salarial médio de 7% mais inflação” e o “esforço adicional de manter os 20 colaboradores cujo contrato não iria ser renovado” no final deste mês.

No comunicado, tanto a empresa como o sindicato “reconhecem a eventual necessidade de efetuar novos ajustes de estrutura no futuro” que, em caso de um cenário “menos positivo”, poderá implicar “uma nova redução de colaboradores”, ou o “aumento do número de colaboradores” perante “um cenário mais positivo”.

O acordo foi alcançado depois da realização de um plenário de trabalhadores, no último fim de semana, que “aprovou por maioria” as novas tabelas salariais e a última versão do acordo entre a PSA/Laborsines e o Sindicato XXI.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
precários jovens licenciados

Jovens, precários e licenciados pagam ajustamento laboral da pandemia

Utentes à saída de um cacilheiro da Transtejo/Soflusa proveniente de Lisboa, em Cacilhas, Almada. MÁRIO CRUZ/LUSA

Salário médio nas empresas em lay-off simplificado caiu 2%

Uma funcionária transporta máscaras de proteção individual na fábrica de confeções Petratex, em Carvalhosa, Paços de Ferreira, 27 de abril de 2020. HUGO DELGADO/LUSA

Mais de 60% dos “ausentes” do trabalho são mulheres

Acordo entre Sindicato XXI e PSA/Laborsines põe fim a conflito laboral