correios

Administrador financeiro dos CTT renuncia ao cargo

02.08_CTT

Guy Pacheco, antigo administrador financeiro da PT Portugal, vai substituir André Gorjão Costa nos CTT.

No dia da apresentação do plano de reestruturação, os CTT anunciaram mexidas na administração. André Gorjão Costa renunciou ao cargo na empresa. Será substituído por Guy Pacheco, que foi o administrador financeiro da PT Portugal entre 2015 e abril de 2017, altura em que tinha apresentado a demissão da operadora. Gorjão Costa era o administrador financeiro da empresa de correios desde 2012.

Esta mudança na administração dos CTT, numa altura em que a empresa tenta recuperar a confiança dos investidores após vários trimestres de resultados abaixo do estimado, terá ainda de ser ratificada na próxima Assembleia Geral da empresa de correios, segundo o comunicado enviado pelos CTT à Comissão do Mercado de Valores Mobiliário (CMVM).

“A tomada nesta data destas deliberações contribui para o ciclo de transformação dos CTT que se inicia essencialmente focado na otimização da capacidade operacional e racionalização de custos, no contexto do Plano de Transformação Operacional hoje objeto de aprovação pelo Conselho de Administração e comunicação ao mercado”, explica a empresa liderada por Francisco Lacerda.

A empresa apresentou esta terça-feira um programa de corte de custos que prevê um corte na remunerações da administração, a redução de cerca de 800 trabalhadores e a otimização da rede de balcões. As medidas surgem após um período de pressão nas ações da empresa, devido aos resultados abaixo do estimado. Os títulos da empresa perdem mais de 45% em 2017.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
António Ramalho (Novo Banco), Luís Pereira Coutinho (Banco Postal), Nuno Amado (BCP) e António Vieira Monteiro (Santander Totta). Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Transferências bancárias imediatas sim, mas com custos

Fotografia: Leonardo Negrão / Global Imagens

Lesados do Banif pedem indemnização de 100 milhões a Portugal e a Bruxelas

As associações representativas dos taxistas marcaram para esta quarta-feira uma manifestação nacional contra a promulgação pelo Presidente da República do diploma que regula as plataformas electrónicas de transporte como a Uber, Cabify, Taxify e Chaffeur Privé. Manifestação de Lisboa.
Táxis junto à rotunda do Marquês de Pombal 
( Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens )

Plataformas de transportes ganham pouco com concentração dos taxistas

Outros conteúdos GMG
Administrador financeiro dos CTT renuncia ao cargo