aviação

Air France anuncia fim das operações para o Irão

Airbus 320 da AirFrance. REUTERS/Christian Hartmann
Airbus 320 da AirFrance. REUTERS/Christian Hartmann

Depois do anúncio da British Airways, a Air France anuncia o último voo para o Irão a 18 de setembro, devido à fraca rentabilidade comercial da linha.

A Air France vai deixar de voar para Teerão a partir de 18 de setembro, devido à fraca rentabilidade comercial da linha, anunciou esta quinta-feira a direção da empresa francesa.

A companhia aérea, que havia transferido as suas conexões para Teerão para a sua companhia aérea de ‘low cost’ Joon, referiu que “passou de três frequências semanais para uma desde 04 de agosto e vai interromper as suas conexões com Teerão a partir de 18 de setembro devido à sua baixa lucratividade comercial”, segundo um comunicado do seu departamento de comunicação.

O anúncio surge no mesmo dia em que British Airways anunciou também que deixará de realizar voos diretos para a capital do Irão em setembro, porque “as operações não são atualmente comercialmente viáveis”.

A British Airways anunciou que o seu último voo para Teerão será a 22 de setembro, com o regresso a Londres no dia seguinte.

A companhia aérea britânica tinha retomado os voos diretos para Teerão em setembro de 2016, após a suspensão do serviço em outubro de 2012, quando as relações entre a Grã-Bretanha e o Irão se deterioraram.

As duas decisões anunciadas esta quinta-feira ocorrem depois de o Presidente norte-americano, Donald Trump, em maio ter retirado os Estados Unidos do acordo nuclear entre o Irão e as grandes potências mundiais e de ter reinstaurado sanções contra os iranianos.

O Reino Unido e França, juntamente com os restantes membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU – Rússia, China e Estados Unidos – e a Alemanha, celebraram o acordo nuclear com o Irão em 2015.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
7. Aeroporto de Londres Heathrow

Oficial. Portugal fora do corredor turístico do Reino Unido

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Decisão do Reino Unido é “absurda”, “errada” e “desapontante”, diz Santos Silva

O primeiro ministro, António Costa.     MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

António Costa admite despedimentos na TAP com menos rotas e aviões

Air France anuncia fim das operações para o Irão