Resultados

Air France-KLM mais do que duplica lucro em 2018

Fotografia: Christian Hartmann/ Reuters.
Fotografia: Christian Hartmann/ Reuters.

Apesar da quebra de 30,7% do resultado de exploração que, penalizado pelas greves, somou 1.332 milhões de euros, o lucro da companhia aumentou 151%.

O lucro da Air France-KLM aumentou 151%, para 409 milhões de euros, em 2018 face a 2017, apesar da quebra de 30,7% do resultado de exploração que, penalizado pelas greves, somou 1.332 milhões de euros.

Em comunicado, o grupo de aviação franco-holandês apontou um impacto negativo de 335 milhões de euros das greves na sua companhia Air France. Este conflito laboral terminou na terça-feira, com o voto dos pilotos de Air France a favor do acordo com a direção do novo administrador delegado, Ben Smith, que em outubro já tinha conseguido um compromisso inicial com os sindicatos que representam mais de três quartos dos trabalhadores.

Em 2018, a diferença de rentabilidade entre os dois segmentos do grupo foi significativa: o resultado de exploração da Air France ficou-se pelos 266 milhões de euros (menos 597 milhões do que em 2017), o que se traduziu numa margem de exploração de 1,7%, enquanto a divisão holandesa KLM registou 1.073 milhões de euros de resultado de exploração (menos seis milhões do que no exercício anterior), com uma margem de 9,8%.

Segundo a Air France-KLM, outro fator que penalizou o resultado de exploração foi a fatura do combustível, que aumentou em 451 milhões de euros, para 4.958 milhões, sobretudo devido à subida do preço do petróleo.

No conjunto do ano, o grupo franco-holandês destacou o aumento de 1% da produtividade e a subida do número médio de funcionários para acompanhar o aumento da sua oferta, em 1.200 pessoas, dos quais 250 pilotos e 450 tripulantes de cabine.

A faturação aumentou 2,5% em termos absolutos e 5% em termos comparáveis, para 26.515 milhões de euros, sendo de destacar a contribuição da companhia de baixo custo Transavia (1.611 milhões de euros, +12,2%), o negócio de transporte de carga (2.288 milhões de euros, +4,1%) e as atividades de manutenção (4.349 milhões de euros, +4,7%).

No ano passado, os aviões das várias companhias do grupo transportaram 101,447 milhões de passageiros, uma subida de 2,8%, sendo que 15,828 milhões corresponderam à Transavia, que registou um aumento de 7,1%.

Para 2019, num contexto de incerteza geopolítica e sobre a evolução do preço do petróleo, o grupo prevê efetuar “aumentos seletivos de capacidade” na sua rede de passageiros em 2% a 3% face a 2018, sendo que no caso da Transavia o ritmo de crescimento atingirá os 9% a 11%.

Os planos para este ano passam também por diminuir os custos em até 1% sobre uma base constante de câmbio e do preço do barril de petróleo.

Em 2019, a Air France-KLM estima que a fatura de combustível aumente em 650 milhões de euros, para os 5.600 milhões de euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lear Corporation

Há mais de 800 mil portugueses a trabalhar por turnos

Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública. (António Pedro Santos / Lusa)

Governo vai reservar verba para financiar pré-reformas no Estado

Rui

“Se Rui Rio ganhar as eleições do PSD este Governo dura quatro anos”

Outros conteúdos GMG
Air France-KLM mais do que duplica lucro em 2018