Saúde

Bayer: Alemanha quer acabar com uso do glifosato

EPA/STEPHANIE LECOCQ
EPA/STEPHANIE LECOCQ

A Bayer afundou 14,4% em bolsa. A sua empresa Monsanto foi condenada nos EUA por não ter alertado para os riscos de cancro do Roundup.

A Alemanha vai acabar com o uso de herbicidas baseados em glifosato durante a atual legislatura, que acaba dentro de três anos, disse a porta-voz do Ministério do Ambiente alemão, citada pela Reuters.

O químico está de novo nos centros das atenções depois da Monsanto, da alemão Bayer, ter sido condenada nos Estados Unidos a pagar uma indemnização milionária por não ter alertado que o seu herbicida Roundup – que tem glifosato – pode causar cancro.

As ações da Bayer afundaram 14,4% esta segunda-feira depois de um júri na Califórnia ter ordenado a Monsanto a pagar uma indemnização de 289 milhões de dólares (252,3 milhões de euros). A Monsanto enfrenta mais de 5.000 processos similares na justiça norte-americana e já anunciou que vai recorrer do veredicto.

A Mosanto foi comprada pela Bayer este ano por 63 mil milhões de dólares (55 milhões de euros).

As ações da Bayer seguiam a cair 12,9% para 81,31 euros, às 13H00, depois de terem descido ao mínimo de quatro anos, segundo dados da Reuters.

O glifosato tem sido usado na agricultura há mais de 40 anos mas a segurança do seu uso foi posta em causa por uma agência da Organização Mundial da Saúde em 2015. A agência concluiu que o glifosato provavelmente causa cancro.

Foi graças ao voto da Alemanha que, em novembro de 2017, o químico teve ‘luz verde’ de Bruxelas para continuar a ser usado na União Europeia (UE) por um período de cinco anos, depois de um debate aceso sobre se o glifosato provoca cancro. A licença do Roundup na UE terminava em dezembro de 2017.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O presidente do Conselho Geral e de Supervisão da ADSE, João Proença, durante a sua audição na Comissão de Saúde, na Assembleia da República, em Lisboa, 27 de fevereiro de 2019. MÁRIO CRUZ/LUSA

ADSE já enviou novas tabelas de preços aos privados para negociação

Mario Draghi, Presidente do Banco Central Europeu. REUTERS/Kai Pfaffenbach

BCE discutiu pacote de medidas para estimular economia na reunião de julho

Hotéis de Lisboa esgotaram

“Grandes” eventos impulsionaram aumento dos preços na hotelaria em junho

Outros conteúdos GMG
Bayer: Alemanha quer acabar com uso do glifosato