Telecomunicações

Altice Labs fecha acordo com Ericsson para promover 5G

Paulo Neves, CEO da PT Portugal

Fotografia: Orlando Almeida / Global Imagens
Paulo Neves, CEO da PT Portugal Fotografia: Orlando Almeida / Global Imagens

A partir de Aveiro estão a ser trabalhados 4 projetos na área do 5 G com financiamento europeu.

A Altice Labs fechou um acordo com a Ericsson para promover o desenvolvimento do 5G. O centro de inovação do grupo Altice, dono da PT Portugal, e a tecnológica sueca querem acelerar a adopção do 5G e para isso irão desenvolver em conjunto atividades de I&D, pilotos e demonstrações de equipamentos e aplicações.

Em Portugal, no âmbito do desenvolvimento do 5G o Altice Labs, que a partir de Aveiro desenvolve tecnologia, produtos e serviços para todas as operações do grupo fundado por Patrick Drahi, está a trabalhar em 4 projetos financiados pela União Europeia no âmbito do Horizonte 20/20.

Bruxelas quer que a Europa regresse ao protagonismo tecnológico nas telecomunicações alcançado com o GSM, tendo lançado 19 projetos para desenvolver o 5G, na expectativa de que até 2020 consiga ter “demonstrações mais completas”, diz Alcino Lavrador, diretor-geral do Altice Labs.

Quatro desses projetos estão a ser trabalhados pelo Altice Labs, com uma rede de parceiros internacionais.

Um arranque comercial do 5G ainda está longe. Em Portugal, os operadores estão em fase de pilotos. Na Web Summit a PT fez um piloto em 4,5 G, onde atingiu velocidades até 1,7 Gbps. Ou seja, cinco vezes mais do que a atual velocidade das ofertas comerciais da rede fibra e cinco vezes mais do que a atual velocidade da rede móvel. Um piloto em parceria com a Huawei.

Além de um novo laboratório dedicado ao 5G, a Altice Labs lançou o Future Lab, um espaço aberto à comunidade para experimentação e prototipagem de novos conceitos, tecnologias e tendências. O espaço, que integra soluções de domótica, eletrónica, realidade aumentada e inteligência artificial, contará com mentores e comunidades de makers para ajudar na concretização de protótipos.

Antiga PT Inovação, com a compra da PT Portugal pela Altice, o grupo francês decidiu centralizar em Aveiro o centro de know-how tecnológico do grupo. Do Altice Labs seguem para as diversas operadoras do grupo em França ou Estados Unidos tecnologias, serviços ou produtos desenvolvidos pela equipa de engenheiros na sua esmagadora maioria portugueses.

Em novembro, a Altice USA, a quarta maior operadora de cabo dos EUA, anunciou um plano de expansão de rede de fibra ótica de alto débito – FTTH – durante os próximos cinco anos, prevendo 4,6 milhões de casas localizadas em 20 estados norte-americanos. A tecnologia foi desenvolvida pela Altice Labs. E em França, a SFR, no âmbito da expansão da rede FTTH, vai usar o o Armário GPON 6000. “Esta solução irá ser complementada com duas unidades OLT1-T1, de modo a garantir o serviço para um total de 6 mil clientes de fibra. Este projeto irá ser expandido e, numa primeira fase, permitirá levar a tecnologia de fibra ótica a 850 mil clientes”, informa a PT.

E na Índia, a tecnologia GPON desenvolvida pela Altice Labs está desde março de 2016 a ser utilizada na rede de alto débito no estado de Andhra Pradesh, tal como noticiou o Dinheiro Vivo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fernando Ulrich, futuro chairman do BPI, e Pablo Forero, futuro CEO. Foto: Tiago Petinga/EPA

Acionistas do BPI reunidos. Começa hoje a era CaixaBank

Brasil é a 1ª economia da América do Sul

Portugal é a nova Miami para os brasileiros ricos

Fernando Rocha Andrade
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Cobrança coerciva deverá render neste ano 1104 milhões ao fisco

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Altice Labs fecha acordo com Ericsson para promover 5G