Telecomunicações

Altice. Processo de venda das torres em Portugal e França está “bem avançado”

Alexandre Fonseca, CEO da Altice Portugal

(Filipe Amorim / Global Imagens)
Alexandre Fonseca, CEO da Altice Portugal (Filipe Amorim / Global Imagens)

Com esta alienação, Dennis Okhuijsen, o administrador financeiro da Altice, disse esperar cerca de "2.000 milhões" de euros.

O administrador financeiro da Altice, Dennis Okhuijsen, afirmou esta quinta-feira que o processo de venda das torres de telecomunicações em Portugal e França, bem como o negócio na República Domincana, está “bem avançado”.

Dennis Okhuijsen, que falava na conferência de telefónica com os analistas sobre a atividade da dona da Altice Portugal durante o primeiro trimestre deste ano, adiantou que o programa de alienação de ativos não estratégicos, que inclui a venda de torres de telecomunicações em Portugal, França e o negócio na República Dominicana estão “bem avançados” e nas “etapas finais”.

Com esta alienação, o administrador financeiro disse esperar cerca de “2.000 milhões” de euros.

O grupo Altice vai vender 13.000 torres de comunicações em França e em Portugal, das quais 3.000 no mercado português.

No início deste mês, o patrão da Altice, Patrick Drahi, afirmou, em Lisboa, que existiam interessados “de todos os sítios do mundo” nas torres em Portugal.

“As receitas totais da Altice Portugal caíram 4,5% em termos homólogos no primeiro trimestre de 2018 excluindo medidas extraordinárias ou 6,5% numa base comparável para 507 milhões de euros”, anunciou a empresa, em comunicado.

Esta descida, segundo uma nota divulgada em Portugal, “resulta da perda de quotas de mercado verificadas no passado. Com o crescimento agora reportado na quota de mercado, a empresa tem a ambição de recuperar receita nos trimestres seguintes”.

Nos primeiros três meses de 2018, o MEO ganhou quota de mercado, “pelo segundo trimestre consecutivo, capturando cerca de 65% das adições líquidas, quando comparado com os dois principais concorrentes”, o que, diz a operadora, “revela uma tendência de crescimento, que permitirá inverter” a queda das receitas verificada no período em análise.

O MEO conquistou 49 mil novos clientes de fibra

“Seguros de que a forte ‘performance’ comercial é sólida e sustentável, a Altice Portugal mantém absolutamente inalterado o seu plano de investimentos: independentemente da variação de receitas reportada, a empresa investiu, no 1T [primeiro trimestre] de 2018, 105 milhões de euros, o mesmo valor investido no período homólogo”, lê-se no comunicado.

O Capex (investimento) de 105 milhões de euros no primeiro trimestre ficou ligeiramente abaixo dos 108 milhões de euros de igual período de 2017.

O EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado caiu 10,6% excluindo medidas extraordinárias ou 14,6% numa base comparável para 219,2 milhões de euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Pedro Queiroz Pereira

Pedro Queiroz Pereira deixa império de mil milhões

Pedro Queiroz Pereira, presidente do conselho de administração da Semapa

Semapa: “Mais do que um património, PQP deixa força e deixa valores”

Outros conteúdos GMG
Altice. Processo de venda das torres em Portugal e França está “bem avançado”