Telecomunicações

ERC ainda sem veredicto sobre a compra da Media Capital

Alain Weill, Michel Combes e Paulo Neves

Fotografia: Filipe Amorim/Global Imagens
Alain Weill, Michel Combes e Paulo Neves Fotografia: Filipe Amorim/Global Imagens

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) voltou hoje a reunir-se para debater a compra da Media Capital pela Altice e decidiu prolongar a discussão para a próxima terça-feira, não tendo chegado a uma decisão, informou fonte oficial.

“Informo que o Conselho Regulador [da ERC] decidiu continuar amanhã, a reunião sobre a operação de concentração Meo-Altice/Media Capital”, disse à agência Lusa a mesma fonte, sem adiantar mais pormenores.

Ao início da tarde de hoje, o regulador voltou a reunir-se para debater o assunto, depois de duas reuniões sem consenso na semana passada.

Também na semana passada, na terça-feira, a ERC pediu mais cinco dias úteis à Autoridade da Concorrência para se pronunciar sobre o negócio.

De facto, a passada terça-feira era a data indicativa para a ERC dar um parecer sobre a operação, mas agora espera-se que a decisão do regulador se conheça até terça-feira desta semana.

No final de agosto, contactada pela Lusa, fonte oficial da Autoridade da Concorrência indicou que, após o parecer da ERC, existem dois cenários, dependendo se o regulador dos ‘media’ se pronuncia de forma negativa ou favorável ao negócio.

Caso o parecer seja negativo, a operação não se poderá realizar.

No entanto, se o parecer não for negativo, a Autoridade da Concorrência continuará a sua instrução e ao fim de 30 dias úteis (contados da data da notificação e descontadas as interrupções que suspendem o prazo legal) poderá pronunciar-se de três formas: que a operação não se encontra abrangida pelo procedimento de controlo de concentrações; não se opor à concentração; ou dar início a uma investigação aprofundada.

Neste último caso, a Autoridade da Concorrência dispõe de um prazo máximo de 90 dias úteis para adotar uma decisão final.

Em 11 de agosto, o Conselho de Administração da Media Capital, que detém a TVI, considerou que a operação “é oportuna e que as respetivas condições são adequadas”.

A Altice anunciou em 14 de julho, dois anos depois de ter comprado a PT Portugal (Meo), que tinha chegado a acordo com a espanhola Prisa para a compra da Media Capital, dona da TVI, entre outros meios, numa operação avaliada em 440 milhões de euros.

Em 19 de setembro, a Autoridade Nacional de Comunicações — Anacom divulgou o seu parecer sobre a operação de concentração, considerando que a compra da Media Capital pela Altice não deverá ter lugar “nos termos em que foi proposta, pois “é suscetível de criar entraves significativos à concorrência efetiva” em vários mercados.

O parecer da Anacom não é vinculativo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Francisco Pedro Balsemão, CEO do grupo Impresa. Foto: DR

Impresa.Reestruturação já atingiu 20 trabalhadores. E chegou ao Expresso

PCP

Subsídios por duodécimos no privado também acabam em 2018

Turistas no novo terminal de cruzeiros de Lisboa, Santa Apolónia. Fotografia: Gustavo Bom/Global Imagens

Instituto alemão prevê boom na construção em Portugal até 2020

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Conteúdo TUI
ERC ainda sem veredicto sobre a compra da Media Capital