Tecnologia

Amazon aposta em empresa de entrega de comida concorrente da Glovo e Uber Eats

Imagem de um estafeta da Deliveroo em Amesterdão, Holanda. ( EPA/BAS CZERWINSKI)
Imagem de um estafeta da Deliveroo em Amesterdão, Holanda. ( EPA/BAS CZERWINSKI)

Tecnológica de Jeff Bezos é a maior investidora na mais recente ronda de financiamento dos britânicos da Deliveroo.

A nova aposta da Amazon é a entrega de comida ao domicílio. A tecnológica norte-americana foi a maior investidora na mais recente ronda de financiamento da Deliveroo. A plataforma britânica recebeu uma injeção de 575 milhões de dólares (513,6 milhões de euros) para reforçar a concorrência no mercado que conta com empresas como a Glovo e o serviço Uber Eats.

A expansão do serviço a mais localizações e o crescimento da equipa de engenharia no escritório de Londres, no Reino Unido, são os principais objetivos da ronda de investimento em série G, que também contou com a participação dos fundos T Rowe Price, Fidelity Management and Research Company e ainda Greenoaks.

“A Amazon sempre foi uma inspiração para mim e estamos expectantes por trabalhar em conjunto com uma empresa que tem tanto foco no consumidor”, assinalou Will Shu, fundador e presidente executivo da Deliveroo, citado em nota de imprensa.

Fundada em 2013, a Deliveroo está presente em 500 cidades de 14 países e com mais de 2500 funcionários nos escritórios. Tem mais de 80 mil restaurantes e cerca de 60 mil estafetas como parceiros. Já angariou 1,53 mil milhões de dólares em rondas de investimento.

O investimento da Amazon na Deliveroo surge meses depois de ter sido noticiada uma possível compra da empresa pela própria Amazon ou pela Uber. Na imprensa britânica, sugere-se agora que a Deliveroo poderá começar a ser cotada em Bolsa já em 2020.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ensino profissional é uma das áreas em que Portugal se posiciona pior na tabela do IMD World Talent Ranking 2019. Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal é 23º no ranking mundial de talento. Caiu seis posições

O ensino profissional é uma das áreas em que Portugal se posiciona pior na tabela do IMD World Talent Ranking 2019. Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal é 23º no ranking mundial de talento. Caiu seis posições

Foto: D.R.

TAP soma prejuízos de 111 milhões até setembro. E contrata 800 em 2020

Outros conteúdos GMG
Amazon aposta em empresa de entrega de comida concorrente da Glovo e Uber Eats