Tecnologia

Amazon Web Services. “O nosso apetite para investir em Portugal é enorme”

Miguel Alava | Amazon Web Services
Miguel Alava é diretor da Amazon Web Services para a Europa do Sul | Foto: Reinaldo Rodrigues/Global Imagens

Líder para a Europa fala no aumento da equipa, na realização de eventos locais e deixa em aberto a criação de novos escritórios em Portugal.

“Estamos em Lisboa e em Portugal a longo prazo.” É desta forma que Miguel Alava, diretor-geral da Amazon Web Services (AWS) para a Europa do Sul, classifica a aposta da unidade de computação na nuvem da gigante norte-americana no mercado português.

A entrada oficial da AWS em Portugal foi anunciada em setembro do ano passado e os primeiros meses têm sido muito positivos, como salienta o executivo espanhol em entrevista ao Dinheiro Vivo/Insider. Motivo que leva a tecnológica a apostar em novas contratações, estando neste momento a recrutar oito pessoas.

“Nós estamos a construir uma equipa, uma operação em Portugal. Temos uma equipa de pessoas que estão próximas de contas empresariais e startups. Agora estamos a criar uma equipa de desenvolvimento de parcerias e uma equipa que dá suporte às empresas que estão a executar tarefas críticas na AWS.”

Além do reforço da equipa, a estratégia vai passar também pela realização de eventos locais, estando prometidas novidades para a segunda metade do ano. “Queremos garantir que somos reconhecidos como parte do cenário tecnológico em Portugal. Vamos ter eventos específicos aqui. (…) Podem ser eventos verticais ou mais gerais, queremos estar mais presentes em Lisboa, mas também em outras cidades – Porto, Braga, Coimbra. Estamos a trabalhar com parceiros para tratar disso e para expandir a nossa presença.”

Miguel Alava diz-se ainda surpreendido com o “ecossistema de inovação” que está a ser vivido neste momento no país, o que faz a divisão de cloud da Amazon olhar para outras paragens.

“Em termos de expandir para outras cidades, não está fora de questão. Vamos focar-nos nos clientes e ver de onde vem a procura. Se isso significar abrir outros escritórios noutras cidades, ficaríamos encantados por fazê-lo”, admite. “Pensamos que isto é o início daquilo que vai ser uma grande parceria ao nível da economia e sociedade e estamos comprometidos com isso.”

Questionado sobre quanto está a ASWS a investir com esta aposta em Portugal, Miguel Alava escusou-se a revelar um número. “Não pensamos num investimento que nos vai dar um retorno, não é como tomamos as nossas decisões. Estamos em Portugal a longo prazo e vamos investir tanto quanto os nossos clientes nos pedirem.”

A Amazon Web Services também não revela quantos clientes tem no mercado português, dizendo apenas que são “dezenas de milhares na Ibéria”, mas adianta o nome de algumas organizações que são clientes: as tecnológicas OutSystems e Feedzai, a Câmara Municipal do Porto, a EDP e a Lusiaves são alguns exemplos.

Caso o negócio continue a correr bem, o executivo espanhol admite a nomeação de um diretor-geral dedicado apenas a Portugal. “À medida que a equipa desenvolve e o escritório cresce, vamos pensar em qual é a melhor organização.”

  • * O artigo foi atualizado para referir que Miguel Alava é diretor da Amazon Web Services para a Europa do Sul e não para a zona da EMEA como anteriormente referido
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

LUÍS FORRA/LUSA

Dia 7. Patrões e motoristas divididos por 50 euros

FOTO: TIAGO PETINGA/LUSA

Greve dos motoristas: atenções voltadas para plenário de trabalhadores

Outros conteúdos GMG
Amazon Web Services. “O nosso apetite para investir em Portugal é enorme”