Alfredo diz-lhe quanto custa o metro quadrado

Startup fundada por quatro engenheiros do Técnico vai passar a divulgar mensalmente a evolução dos preços do imobiliário em todas as capitais de distrito do país.

José Varela Rodrigues
Gonçalo Abreu, co-fundador e CEO da startup Alfredo © D.R

Quando quatro jovens engenheiros, recém-formados no Instituto Superior Técnico, em Lisboa, começaram a procurar casa depararam-se com a falta de dados sobre o mercado imobiliário. Para os ajudar a tomar decisões criaram um algoritmo - o Alfredo - que, recorrendo à inteligência artificial e big data, permitisse reunir informação estruturada. Isto foi há três anos. Hoje, a Alfredo é uma startup especializada no mercado imobiliário, que quer fazer de 2022 um ano de afirmação nacional e internacional. O primeiro passo? Lançar um índice de preços do metro quadrado em todas as capitais de distrito do país, atualizados todos os meses.

Com o objetivo de mostrar o poder e potencial do trabalho já desenvolvido, a Alfredo vai passar a disponibilizar uma análise mensal do segmento residencial português. A primeira edição do Índice de Preços Alfredo respeita a dezembro de 2021 e já está disponível no site da plataforma: é em Lisboa que o metro quadrado está mais elevado (3486 euros) e é também onde mais apartamentos foram colocados no mercado (11 321). É na Guarda que o metro quadrado é mais barato 431 (euros). Quanto a preços médios, Lisboa é o município com o valor mais elevado (390 mil euros), enquanto Portalegre tem o valor mais baixo (68 mil euros).

O índice também revela que o preço médio dos imóveis subiu 5,7% nos últimos 12 meses. Foi em Aveiro que se registou o maior crescimento de preços (20%), ao passo que Castelo Branco sentiu a maior quebra (-6,6%). Em Viana do Castelo um imóvel vende-se ao fim de 96 dias, em média - é o município onde mais rápido se vende uma casa. Castelo Branco está no extremo oposto.

A startup, que foi lançada em 2019 por Guilherme Farinha, Mário Gamas, João Januário e Gonçalo Abreu, é especializada em inteligência artificial, big data e machine learning e oferece aos agentes do setor imobiliário ferramentas que permitem analisar o mercado ao pormenor. Também desenvolve o Observatório do Alojamento Estudantil para o Ministério do Ensino Superior.

"Percebemos que existia uma assimetria notável no que toca ao acesso a dados limpos e estruturados. A Alfredo surge, assim, para organizar a informação do mercado imobiliário", explica o cofundador e CEO da Alfredo.pt, Gonçalo Abreu. Atualmente, a plataforma Alfredo, que trabalha com referências do mercado como a RE/MAX, Century21 ou ERA, conta com dez mil utilizadores ativos. Estes utilizadores são profissionais (corretores de imóveis, agentes, analistas, avaliadores) que podem aceder diariamente a dados imobiliários online.

Abreu conta que a plataforma criada permite "a criação de estudos de mercado imobiliários assim como a análise de todos os imóveis que se encontram publicamente disponíveis". "Além disso, os nossos utilizadores encontram na nossa tecnologia uma forma de otimizar o seu pipeline de vendas", acrescenta o jovem gestor, que garante que "uma parte considerável dos imóveis transacionados em Portugal" passa pela Alfredo.

O desígnio desta startup é servir "horizontalmente" as empresas do setor. A plataforma cobre hoje todo "o território nacional, incluindo as ilhas". "E os nossos utilizadores enterprise conseguem analisar topo o tipo de ativos imobiliários, sejam eles residenciais ou comerciais". O CEO da Alfredo afirma que o sucesso alcançado permite pôr em marcha o plano de expansão internacional, embora não avance pormenores.

Mais Notícias

Veja Também

Outros Conteúdos GMG