ANA chega a acordo com trabalhadores e greve nos aeroportos é desconvocada

A paralisação prevista para a próxima semana foi cancelada. A gestora aeroportuária e os trabalhadores iniciam agora um processo de negociações após definirem pontos de acordo.

Rute Simão
 © André Luís Alves/Global Imagens

Depois de dia e meio de negociações, a ANA, o Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (Sintac) e o Sindicato dos Quadros da Aviação Comercial (SQAC) chegaram a acordo. O entendimento faz cair por terra a greve que estava convocada entre 19 e 21 de agosto e que afetaria 10 aeroportos nacionais.

"Ao dia de hoje temos aquilo a que denominamos de "acordo possível". No entanto, não nos esquecemos de que tempos difíceis estão por vir e que a empresa - ANA/VINCI - terá de que fazer repercutir nos salários dos trabalhadores a inflação galopante e os seus próprios resultados, que se adivinham muito bons.", alerta em comunicado Ruben Simas, Dirigente do SINTAC, após o último encontro com a ANA que decorreu na manhã desta quarta-feira, 10.

As estruturas sindicais referem que a ANA "demonstrou alguma abertura em alguns aspetos propostos, que muito proximamente serão abordados com vista à resolução dos mesmos".

A gestora dos aeroportos nacionais acedeu às reivindicações dos trabalhadores e aceitou proceder a "um aumento salarial intercalar a concretizar na mediação que se encontra a decorrer também na DGERT". Outro dos pontos negociados respeita à falta de mão-de-obra e, neste aspeto, a ANA demonstrou "uma clara abertura para fazer face à escassez de recursos humanos nas áreas operacionais".

Foi, desta forma, definida uma calendarização de reuniões, a iniciar a 14 de setembro, com o objetivo de fazer um levantamento dos trabalhadores necessários para iniciar o processo de recrutamento e ações de formação "ab inítio" nas áreas mais afetadas a serem sinalizadas por este grupo de trabalho.

Por último, ficou ainda definida a passagem da negociação do acordo de empresa (AE) para a DGERT "através de um processo de conciliação solicitado pelos sindicatos, com o intuito de tornar mais eficaz essa negociação, acelerando os temas fulcrais em todo o processo negocial", esclarecem o Sintac e o SQAC.

"Numa atitude responsável, e procurando evitar o conflito com claros impactos na economia nacional, os Sindicatos tudo fizeram para chegar a uma fórmula mínima para uma potencial desconvocação da greve, apresentando uma proposta concreta, baseada em vários aspetos que fundamentam o pré-aviso", acrescentam as estruturas sindicais.

O pré-aviso de greve foi lançado na semana passada, depois de as negociações de um novo AE entre a ANA e os trabalhadores não terem chegado a bom porto. Após a convocação do protesto, a ANA, a DGERT e os sindicatos sentaram-se à mesa com o intuito de definir os serviços mínimos para os dias da paralisação, tendo conseguido chegar entretanto a um entendimento que travou a greve.

Mais Notícias

Veja Também

Outros Conteúdos GMG