BCP prevê poupar 35 milhões por ano com saída de até 900 trabalhadores

O BCP iniciou um programa de reestruturação. Estão em causa entre 800 a 900 postos de trabalho no banco.

Elisabete Tavares
Balcão do banco Millennium BCP © Bruno Lisita / Global Imagens

O Millennium bcp prevê poupar 35 milhões de euros por ano com a saída de até 900 trabalhadores, no âmbito do programa de reestruturação que o banco tem em curso.

A redução do número de trabalhadores vai ter um custo de 90 milhões de euros, anunciou Miguel Maya, presidente executivo do BCP, esta segunda-feira, na conferência de apresentação dos resultados do banco.

Frisou que "se saírem as pessoas que, de facto, não fazem falta" o número de saídas de trabalhadores será mais próximo dos 800. Mas Miguel Maya admitiu que o banco possa avançar com despedimentos, caso não se consiga atingir aquele número através de um acordo com os trabalhadores.

No último ano, saíram 217 trabalhadores das operações em Portugal do BCP e foram encerrados 35 balcões.

"Apesar de se ter vindo a assistir à contratação de novos colaboradores em Portugal, sobretudo com competências adequadas para reforçar as áreas digitais, a evolução favorável dos custos com o pessoal, excluindo os itens específicos, reflete principalmente a redução, em termos líquidos, do número de colaboradores que passou de 7.154 colaboradores em 30 de junho de 2020, para 6.937 colaboradores no final de junho de 2021", refere o banco no comunicado com os resultados do primeiro semestre.

Atualizada às 19H05 com mais informação

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG