Continente liga mais 110 tomadas para carros elétricos até final do ano

Cadeia de supermercados vai colocar carregadores em 31 novas localizações ao abrigo da rede Plug&Charge, lançada há menos de um ano.

Diogo Ferreira Nunes
Exemplo de carregadores da rede do Continente em Vila Verde © DR

O Continente vai ligar mais de 110 tomadas para carregamento de carros elétricos até ao final do ano. A retalhista do grupo Sonae está a expandir a rede Plug&Charge, que contará com 31 novas localizações até ao final do ano, segundo o anúncio feito esta quarta-feira.

Os postos de carregamento do Continente estão reservados aos clientes da retalhista, que têm de instalar as aplicações móveis Plug&Charge e Cartão Continente. Cada tomada permite acrescentar 200 quilómetros de autonomia no espaço de uma hora.

A utilização da tomada custa a partir de um cêntimo por minuto. Os preços do serviço são iguais para todas as lojas.

Lançada em setembro de 2020, a rede do Continente conta com 104 pontos de carregamento, espalhados por 24 lojas. A distância máxima entre estações de carga é inferior a 100 quilómetros.

Em nove meses, já houve 11 mil utilizações e foram fornecidos 148 MWh grande parte de fontes renováveis, graças à instalação de centrais solares de autoconsumo. Foi poupada a emissão de 72 toneladas de dióxido de carbono.

A instalação dos carregadores do Continente é um dos investimentos abrangidos pelo financiamento de 55 milhões de euros do Banco Europeu de Investimento e do European Fund for Strategic Investments. Esta injeção de capital permite alavancar financiamento acima dos 110 milhões de euros.

Em janeiro de 2020, a dona do Continente anunciou a intenção de instalar cerca de 680 pontos de carregamento nos parques de estacionamento das suas lojas.

As cadeias de supermercado estão a apostar cada vez mais na instalação de postos de carregamento para carros elétricos. Mercadona, Lidl e Pingo Doce são algumas das retalhistas que apostam nestas infraestruturas para atrair clientes, que podem carregar a bateria do carro enquanto estão nas compras.

Nestas empresas, contudo, os carregadores são de acesso público, através da rede Mobi.E, e não apenas para os próprios clientes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG