Grupo MiniMeu chega a Braga com restaurante e mercearia

Maria Luísa é a mais recente aposta da empresa, que quer investir numa cozinha de produção e distribuição para continuar a crescer.

Sónia Santos Pereira
Catarina Soares, proprietária do grupo MiniMeu. © Gonçalo Delgado/Global Imagens

O restaurante Maria Luísa acaba de abrir portas no centro de Braga. Este é o primeiro espaço do grupo MiniMeu numa cidade, depois de ter criado fama nas vilas do Norte. O mini projeto de Catarina Soares vai ganhando dimensão. No próximo ano, é a vez da mercearia Pureza instalar-se também em Braga. A empresária não conta ficar por aqui. Quer expandir a novas cidades os seus conceitos e, para isso, está a equacionar investir numa cozinha para abastecer todas as lojas do grupo.

O novo restaurante "foi uma vitória. Passamos de vilas para uma cidade", sublinha a empreendedora. O espaço apostou numa oferta de um menu de brunch durante todo o dia e em servir almoços entre as 12 e as 16 horas, estratégia que está a ser "muito bem recebida". Com uma atmosfera acolhedora, pautada por uma decoração vintage, Catarina Soares serve produtos concebidos e produzidos internamente, com opções vegetarianas e vegan, mas onde não faltam os hambúrgueres e as panquecas, nem os bolos de cariz caseiro.

A empreendedora tomou gosto por Braga e já iniciou obras numa loja para abrir no início do próximo ano a mercearia Pureza. Será a segunda do grupo. Catarina Soares quer ir ainda mais longe quer com os seus espaços de restauração quer com as mercearias. "Gostava de continuar a crescer e chegar a outras cidades. Uma cidade de cada vez", diz. Para atingir esse objetivo, já anda a pensar em instalar uma cozinha de produção e distribuição para todos os espaços do grupo e até sabe que terá de ficar entre Arcos de Valdevez e Ponte da Barca. O projeto deverá arrancar em 2023.

A razão para esta localização é simples e racional. Até agora, o grupo MiniMeu tem crescido nesta geografia da região Norte. Como conta a jovem empreendedora, o primeiro restaurante, o Cantinho MiniMeu, abriu em Arcos de Valdevez, em 2016. Catarina Soares, que tem uma licenciatura em Biotecnologia e um mestrado em Biotecnologia Alimentar, vivia e trabalhava na vila e apercebeu-se que a oferta da restauração e pastelaria era muito convencional. O bichinho do empreendedorismo despertou, assim como as memórias dos dias passados na mercearia da avó Pureza, entre clientes e fornecedores. Catarina Soares, na altura com 27 anos, deu então início à sua aventura como empresária.

A segunda aposta, também em Arcos de Valdevez, foi a abertura da Mercearia Pureza, numa homenagem à avó. Na loja, a grande maioria dos produtos são vendidos a granel, numa política de consumo consciente e sustentável, lembrando os dias em que os clientes da avó levavam os alimentos em cartuchos de papel. Entretanto, também já tem venda online. "Este é um projeto em que acredito muito, é o meu bebé, merece crescer e expandir", diz.

Regresso às origens

Com o negócio consolidado, Catarina Soares ruma a Ponte de Lima e abre o restaurante Maria Rosa (o nome da mãe) em 2020. "É um ano que não vamos esquecer. Abrimos em fevereiro e logo em março tivemos que fechar. Foi o pior momento do grupo", lembra. Mas agora está "tudo a correr bem. Ponte de Lima é uma vila muito turística".

Este ano, chegou o momento de se instalar nas origens. É que a terra natal de Catarina Soares é Ponte da Barca. Nessa vila abriu em junho o restaurante Ó"Maria. O grupo MiniMeu está a tornar-se cada vez menos mini. Já emprega 27 pessoas e a faturação deverá chegar este ano aos 850 mil euros.

Mais Notícias

Veja Também

Outros Conteúdos GMG