Navigator mais que duplica lucros no primeiro trimestre para 50,6 milhões de euros

Aumento dos custos das matérias-primas não impediu a empresa portuguesa de alcançar um bom desempenho nos primeiros três meses do ano, tendo atingido um volume de negócios na ordem dos 492 milhões de euros.

Mariana Coelho Dias
The Navigator Company vê lucros aumentarem 115,2% no 1.º trimestre de 2022 face a 2021 © DR

Apesar de um início de ano marcado pela incerteza e pelo agravamento generalizado dos custos das matérias-primas, a Navigator conseguiu alcançar um bom desempenho no primeiro trimestre de 2022, tendo obtido um resultado líquido de 50,6 milhões de euros - um crescimento de 115,2% (23,5 milhões) face ao período homólogo no ano anterior, segundo um comunicado enviado esta terça-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Mesmo neste "enquadramento desfavorável", a empresa portuguesa que fabrica e comercializa papel, "conseguiu um incremento das suas vendas, compensando as fortes pressões sobre os custos", totalizando 492 milhões de euros em volume de negócios, mais 44% em relação ao primeiro trimestre de 2021. O resultado foi "impulsionado pela evolução favorável de preços", pode ler-se no documento. Com 93% das vendas de papel UWF para o exterior, a fabricante apenas transacionou 7% para o mercado nacional.

"As vendas refletem também as condições atuais favoráveis da procura, a grande aceitação dos produtos da Navigator e o esforço de desenvolvimento da base de clientes e de produtos inovadores, dedicados a aplicações e nichos de maior valor acrescentado", salienta a empresa.

No que toca ao EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização), a fabricante dá conta de 122 milhões euros, salientando uma margem sobre vendas de 25% - mais 4 pontos percentuais face ao período homólogo no ano anterior -, "beneficiando do esforço de melhoria de eficiência e consumos, e evolução favorável dos preços de venda estabelecidos nos mercados internacionais".

O free cash flow atingido de janeiro a março de 2022 foi de 77 milhões de euros, permitindo uma redução do endividamento líquido para 518 milhões. "A operar em concorrência nos mercados internacionais, onde o preço é definido com base nas expectativas dos agentes e no balanço entre a oferta e a procura, é a resiliência e agilidade do modelo de negócio que suportam os bons resultados", afirma a companhia, no relatório.

Segundo o relatório da Navigator, o volume de produção aumentou em todos os negócios face ao período homólogo: 12% no segmento de pasta, 5% no segmento de papel, 2% no segmento de tissue e 3% no segmento de energia, "o que potenciou aumentos de eficiência no uso de várias matérias-primas".

Num panorama geral, o volume de vendas de papel situou-se 17% abaixo do quarto trimestre de 2021 e 3% abaixo do primeiro trimestre de 2021, enquanto as vendas de pasta situaram-se 9% abaixo do quarto trimestre e 1% abaixo do primeiro trimestre de 2021. Já o volume de vendas de tissue diminuiu 6% em relação ao trimestre anterior e 4% face ao trimestre homólogo.

"O profundo conhecimento de todas as equipas, e uma estratégia de diferenciação alicerçada em produtos premium e marcas próprias de prestígio e reputação internacional, suportam o bom desempenho da Companhia neste contexto de mercado de forte incerteza."

Embora tenha alcançado resultados positivos entre janeiro e março de 2022, a fabricante portuguesa realça as suas preocupações quanto ao atual quadro macroeconómico e cenário geopolítico, destacando a volatilidade dos "preços de matérias-primas, energia, madeira e logística", as consequências da uma "forte pressão inflacionista aliada a uma expectativa de rápida subida de taxas de juro".

"Mantém-se o foco na proteção das margens de papel e de tissue, com a prudência necessária de modo a procurar garantir a transmissão do custo pelos canais de venda e a capacidade de aquisição por parte dos consumidores. A Navigator continua focada na eficiência das suas operações, atuando na gestão dos seus custos fixos e variáveis de forma transversal, bem como no aumento da produtividade e empenho na sustentabilidade das operações", remata a empresa sobre as perspetivas futuras.

Mais Notícias

Veja Também

Outros Conteúdos GMG