Polestar: Vendas dos elétricos abrem portas a nova marca de carros em Portugal

A sueca Polestar é a nova marca de automóveis elétricos premium que chegou a Portugal com vendas 100% online. A marca acredita que este é dos mercados "mais bem preparados" para a eletrificação dos carros.

Bruno Contreiras Mateus
O Polestar2 está disponível em três versões, com baterias de 69 ou 78 kWh e potências de 227 ou 402 cavalos © Polestar

"Portugal é um dos mercados mais preparados para a mudança para os

elétricos, tanto pelas suas infraestruturas como pela mentalidade da população." É assim que nos vê a Polestar, uma nova marca sueca de automóveis desportivos elétricos premium, detida a 50% pela Volvo, que chegou ao nosso mercado em finais de maio. "Pensamos que o consumidor português é um early adopter em termos de novas tecnologias", explica ao Dinheiro Vivo Isabel Salas Mendez, da comunicação da marca em Portugal e Espanha.

Com as vendas dos veículos elétricos a subirem 77,9% nos primeiros cinco meses do ano face ao mesmo período de 2021 - e que no caso dos ligeiros de passageiros já correspondem a 10% do total de vendas de carros novos -, segundo dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP), este é um mercado apetecível para lançar o modelo 100% elétrico Polestar2, que custa a partir de 49 900 euros, em três versões diferentes, com autonomias entre os 474 e os 542 quilómetros percorridos com uma só carga de bateria.

Desde o início de 2022, a Polestar entrou em seis novos mercados: Emirados Árabes Unidos, Kuwait, Hong Kong, Irlanda, Espanha e Portugal - somando assim vendas em 25 países e prepara-se para entrar nos mercados israelita e italiano na segunda metade do ano. A marca avança também para a entrada no índice tecnológico Nasdaq com uma operação de fusão com a Gores Guggenheim, que deverá estar concluída no final do mês.

Com mais de 32 mil encomendas mundiais do Polestar2 desde janeiro (mais 290% face a igual período de 2021), a marca sueca não revela expectativas comerciais no nosso país. Adianta apenas que estão "muito satisfeitos com a resposta do mercado português" e que a ambição é instalarem-se e divulgarem a marca e "só depois virão os objetivos de vendas". "Desde os primeiros dias que já tínhamos muitas reservas para o Polestar2", garante Isabel Salas Mendez.

"O mercado de automóveis elétricos em Portugal está em crescimento, trazer a Polestar para o país foi um passo lógico para a marca", explicava em comunicado Miguel Pinto, diretor-geral da Polestar Portugal, no lançamento da marca sueca no nosso país. "Estamos entusiasmados por trazer uma opção genuinamente atrativa para o segmento premium compacto e por oferecer aos portugueses um automóvel elétrico inovador e sustentável que se apresenta como uma alternativa aos atuais automóveis a gasolina ou diesel."

<strong>Volvo presta assistência</strong>

"A Polestar é uma marca digital, as compras são 100% online e o pós-venda será feito através da rede Volvo (mais de 30 pontos em todo o país)", explica a responsável. A Volvo lançou em 2021 os primeiros modelos 100% elétricos - O Volvo XC40 Recharge e C40 Recharge - , o que permite a partilha de sinergias na assistência. A taxa de comercialização de modelos eletrificados já é superior a 50% do total de vendas, sendo uma das mais elevadas da marca na Europa.

A Polestar está, para já, a propor test-drives aos interessados e prepara a abertura das suas lojas físicas, conhecidas como Polestar Spaces e Polestar Destinations. "Estes ambientes personalizados permitem aos clientes interagir fisicamente com a marca e falar com os nossos Polestar Specialists, permitindo que o cliente explore o veículo com mais detalhe e, caso deseje, efetuar um test drive", avança a marca, prevendo que o primeiro Polestar Destination abra ao público no quarto trimestre na zona do Porto, seguindo-se Lisboa.

"Disponibilizamos uma experiência "figital", parcialmente física através dos "destinations/spaces" e digital para que os clientes possam configurar e comprar online. Estamos convencidos de que é o futuro", diz Isabel Salas Mendez.

Dados da ACAP revelam que nos primeiros cinco meses deste ano o segmento dos elétricos é liderado pela Peugeot (613 unidades vendidas, com preços a partir de 29 870 euros no caso do 208), à frente da Tesla (591) e da Nissan (407). "Os nossos concorrentes diretos são todas as marcas que estão a produzir e comercializar veículos térmicos. O objetivo da Polestar é incentivar a transição para o mundo elétrico", afirma Isabel Salaz Mendes.

Para expandir a sua gama de produtos, está previsto o lançamento em outubro deste ano do Polestar3, um SUV elétrico de elevadas prestações. E, em resposta a um mercado europeu onde as vendas "deverão crescer exponencialmente", nos próximos três anos, a marca deverá lançar, a um ritmo anual, os novos modelos Polestar4, um SUV coupé, e Polestar5, um GT de quatro portas.

Mais Notícias

Veja Também

Outros Conteúdos GMG