Revolut passa a permitir aos colaboradores trabalhar a partir do estrangeiro até 60 dias por ano

Os Revoluters podem agora submeter pedidos para trabalhar fora do seu país, por motivos pessoais, durante até 60 dias do ano, ao longo de um período de 12 meses. Este modelo híbrido é um piloto e deverá estar integralmente implementado no final deste ano.

Dinheiro Vivo
Revolut

A Revolut, a plataforma financeira global com mais de 15 milhões de clientes em todo o mundo, anunciou que vai passar a permitir aos colaboradores trabalhar a partir do estrangeiro até 60 dias por ano.

Quando as restrições com viagens forem levantadas - e tendo sempre em consideração as indicações das autoridades nacionais de saúde -, os colaboradores da Revolut terão a possibilidade de trabalhar, temporariamente, a partir de uma localização diferente do país da sua residência fiscal ou contratual.

Para tal, a empresa estudou todas as leis aplicáveis, como impostos corporativos, individuais, imigração, segurança social, de forma a criar uma política que fosse o mais conveniente e benéfica para os colaboradores.

A empresa explica em comunicado que, a nova política de trabalho foi lançada com o objetivo de acomodar as necessidades da força de trabalho maioritariamente internacional da Revolut, com os colaboradores a desejar a possibilidade de visitar familiares ou os seus países de origem com maior frequência ou durante períodos mais longos.

"Quando os países começarem a levantar as restrições com viagens ou começarem a distanciar-se dos confinamentos, depois de mais de um ano fechados entre quatro paredes, acreditamos que esta política vai ser um enorme sucesso junto das nossas equipas" afirma Jim MacDougall, Vice-Presidente de People na Revolut.

Em fevereiro, a Revolut anunciou que iria adotar um modelo híbrido de trabalho, suportado pela implementação de RevLabs - novos escritórios desenhados para o trabalho colaborativo.

"Na mesma medida que estamos a eliminar fronteiras nos serviços financeiros, fazia sentido adaptar a política interna com a missão do produto. Os nossos colaboradores pediram flexibilidade e é isso que lhes estamos, mantendo foco na experiência e poder de escolha dos colaboradores" nota ainda Jim MacDougall.

A Revolut mantém o foco no seu objetivo de construir a primeira super aplicação financeira verdadeiramente global do mundo, tendo aumentado a sua base de clientes em 2020 e no primeiro trimestre de 2021.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG