T-Roc concentra produção da Autoeuropa no final de 2022

Depois de ficar conhecida com a fábrica dos monovolumes, a unidade de Palmela do grupo Volkswagen está a virar-se exclusivamente para os veículos utilitários desportivos.

Diogo Ferreira Nunes
Employees wearing face masks wait for the arrival of the Portuguese president at the Volkswagen Autoeuropa car factory in Palmela, 30 kms south of Lisbon, on May 13, 2020. - Portugal as a whole has been relatively lightly touched by the coronavirus pandemic with just over a thousand deaths. (Photo by CARLOS COSTA / AFP) © AFP

O veículo utilitário desportivo T-Roc vai concentrar todas as atenções da Autoeuropa a partir do final de 2022. A unidade de Palmela foi visitada esta sexta-feira pelo Presidente da República e pelo primeiro-ministro, que conheceram a versão renovada do SUV. Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa viram ainda alguns dos modelos produzidos pela empresa desde 26 de abril de 1995.

A revelação foi feita pelo ainda diretor-geral da fábrica, Miguel Sanches. "O T-Roc vai ser o único modelo da Autoeuropa a partir do final do próximo ano", adiantou o gestor quando o chefe de Estado e o primeiro-ministro estavam a acabar de ver alguns dos modelos que fizeram a história da unidade de Palmela.

Atualmente, o SUV ainda reparte a linha de montagem com o monovolume Volkswagen Sharan, que representa 5% da produção. No próximo ano, o Sharan será descontinuado, depois de a atual geração já contar com mais de uma década de vida.

Quando a Autoeuropa começou a funcionar, os monovolumes foram os protagonistas: graças a um acordo entre a Ford e a Volkswagen, da linha de montagem saíram os modelos Galaxy e Volkswagen. Só que no início do século XXI a Ford rasgou o acordo de parceria e os alemães ficaram sozinhos a desenvolver os monovolumes.

Em 2006, chegou o descapotável Eos, que colocou a fábrica noutro patamar. "Foi o carro que nos ensinou a trabalhar com os padrões de engenharia e de precisão da Volkswagen. Foi um lançamento muito complexo e desafiante. A fábrica chegou a fazer 260 carros por dia", recordou Miguel Sanches.

No início da década de 2010 surgiu o desportivo Scirocco, que "resultou das aprendizagens do Eos". Scirocco e Eos acabaram por ser descontinuados e cederam o lugar ao T-Roc, o primeiro modelo de grande produção da Autoeuropa e que voltou a transformar a unidade de Palmela. O SUV começou a ser produzido em julho de 2017 e permitiu à fábrica bater sucessivos recordes de produção.

Em 2021, apesar da crise dos semicondutores, a fábrica prepara-se para o terceiro melhor ano de sempre. Estima-se que sejam produzidos 210 mil automóveis, 95% dos quais serão T-Roc; os restantes 5% ainda serão Sharan.

A Autoeuropa celebrou esta sexta-feira os 30 anos da colocação da primeira pedra da fábrica, em 3 de dezembro de 1991. A cerimónia foi aproveitada para mostrar ao público a renovação do T-Roc, que será posta à venda nos concessionários em março de 2022. O modelo será equipado apenas com motores térmicos: três unidades a gasolina e duas a gasóleo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG